fbpx

O universo futurista de Alex Garland na série DEVS

Alex Garland é um roteirista/diretor, que tem um estilo bem próprio. Não está associando o nome aos filmes? Ele é o cara que fez Ex-Machina – Instinto Artificial (disponível na Telecine e Globoplay). E também o grande fracasso Aniquilação (Netflix). Ou seja, é reconhecido pelo amor pelo gênero de ficção-científica. Sempre com um estilo lento, contemplativo, futurista, só com cores frias. E tudo isso está presente em sua minissérie DEVS. Ela estreia nessa quinta-feira (27), às 22h15 no canal Fox Premium. Na ocasião, o canal vai exibir os dois episódios iniciais.

São oito episódios de aproximadamente uma hora. Eles exploram conceitos como a teoria do multiverso, a inteligência artificial, o livre arbítrio e a complexidade das ambições pessoais. Ou seja, é complexo! A história é sobre  uma jovem engenheira de software chamada Lily Chan (Sonoya Mizuno, que já fez Aniquilação com o diretor). Ela trabalha para a Amaya, uma reconhecida empresa de tecnologia da computação quântica com sede no Vale do Silício. Sem acreditar no suposto suicídio de seu noivo Sergei (Karl Glusman, da série Gypsy), Lily começa a investigar a causa e de sua morte. Rapidamente ela se dá conta de que todas as pistas levam a Forest (Nick Offerman, de Parks and Recreation). Ele é o estranho CEO de Amaya e da DEVS, a divisão secreta da empresa. Numa busca pela verdade, Lily descobre uma conspiração tecnológica que poderá mudar o mundo.

A crítica

Eu já vi os dois primeiros episódios de um total de oito, que foram disponibilizados pela Fox. Como já disse, é a cara de Alex Garland. O cenário é impressionante. Repare na estátua assustadora de uma criança. Ou ainda  em todo o ambiente  futurista  da super secreta DEVS.  Já logo de início, vem um choque. Garland brinca com a expectativa do público com o desaparecimento do personagem que aparentemente seria o principal. Ou seja, ele conta uma história de suspense de uma maneira totalmente distante. Até que uma determinada cena choca audiência com uma violência totalmente inesperada.

No elenco, Allison Pill foi quem mais me impressionou. Está totalmente assustadora como uma executiva da DEVS. Já Sonoya Mizuno não me convenceu. Quem sabe no restante dos episódios ela consiga brilhar. Acho sinceramente  que lhe falta carisma. Não sou grande fã de Alex Garland, e nem de seu estilo, mas a história me chamou a atenção. Fiquei interessada em conhecer os detalhes. E, é claro, o objetivo dessa história. Para quem não conseguir conter a curiosidade, fica a dica. A partir da estreia, todos os oito episódios ficarão disponíveis para os assinantes do Fox Premium no app da Fox.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *