fbpx

Sim, você vai chorar com Como eu era antes de você. Mas também vai sorrir bastante.

Mesmo que não tenha lido o livro, mesmo que não saiba detalhes da história, quando você se propõe a ver um filme como Como eu era Antes de Você, já sabe que vai chorar, não é? Então já leve uma caixa de lenços na bolsa porque não vai ser fácil…. Baseado num best-seller internacional, Como eu era antes de você vai fazer você chorar, se emocionar e quer saber? Vai dar risada também. O filme estreia esta semana nos cinemas brasileiros, e é muito bom.

Depois de uma introdução onde é mostrado como o banqueiro jovem e rico Will Traynor (Sam Claflin) se acidentou, o filme passa a mostrar a rotina de Louisa “Lou” Clark (Emilia Clarke), uma jovem de 26 anos que vive em uma pitoresca cidade de campo inglesa. Ela está meio sem rumo, pulando de um emprego para outro para tentar ajudar sua família com as despesas. Seu jeito alegre, no entanto, é colocado à prova quando enfrenta o novo desafio de sua carreira.

Ao aceitar um trabalho no “castelo” da cidade, ela se torna cuidadora e acompanhante de Will, que ficou paralisado do pescoço para baixo após o acidente, mudando seu mundo num piscar de olhos. O agora cínico Will, está prestes a desistir. Isso até Lou ficar determinada a mostrar a ele que a vida vale ser vivida. Então os dois embarcam juntos em uma série de aventuras, que os mudará para sempre.

Muitos que leram o livro podem sentir falta de algumas passagens, que acabaram cortadas no filme. Há também aqueles que são contra a forma como o filme mostra a decisão de Will. Mas na minha opinião, Como eu era antes de você mostra aquilo que sempre achei correto, cada um é dono de seu nariz para tomar a decisão que lhe parecer melhor. Mesmo feito para chorar, o filme tem vários momentos de sorrisos e alguns de boas risadas. É romântico, e faz com que você se sinta parte da história desses personagens.

Além do casal principal, vários rostos ingleses conhecidos participam do filme. Os fãs de Downton Abbey reconhecerão Mr. Bates no pai de Lou (Brendan Coyle), o pai de Will é também o pai de Cersei, Jamie e Tyrion em Game of Thrones (Charles Dance), o namorado de Lou é o amigo de Harry Potter, Neville Longbottom (Matthew Lewis), a irmã de Lou é conhecida de todos os fãs de Dr. Who (Jenna Coleman), assim como todos que assistiram The White Queen vão lembrar da mãe de Will (Janet McTeer). Mas no final, o filme pertence mesmo a Emilia Clarke e Sam Claflin. Eu nunca tinha prestado muita atenção nele nos filmes de Jogos Vorazes e em Branca de Neve e o Caçador (só tinha olhos para os irmãos Hemsworth! Rs!), mas aqui ele realmente chama a atenção. Depois do vídeo/brincadeira dos amigos de Will, dá até para imaginá-lo como um jovem James Bond.

Só que o grande destaque é o trabalho de Emilia Clarke como Lou. Ela não se importa de parecer gorducha, com suas roupas ridículas, e por isso mesmo se torna tão adorável. Também não se importa de mostrar as ruguinhas que já começam a aparecer em cada uma de seu um milhão de diferentes expressões. Não poderia estar mais diferente de Daenerys, e também de Sarah Connor. Só agora percebi a grande atriz que ela é. E como sua atuação dá o tom doce e descomplicado do filme. Vale o ingresso.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *