fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

O Napoleão de Joaquin Phoenix chega ao cinema

Eu admiro muito a versatilidade de Ridley Scott. Ele vai de ficção-científica (Alien o 8º Passageiro), passando pelo romance (Um Bom Ano)até um filme feminista (quando ninguém falava sobre isso), Thelma e Louise. E ainda recentemente, fez dois filmes que gosto muito, o novelão Casa Gucci e o brilhante O Último Duelo. Mas, é claro, muita gente se lembra dele por causa de Gladiador, que vai ganhar uma sequência. E agora, ele se junta novamente  a Joaquin Phoenix (que concorreu ao Oscar por seu papel em Gladiador) em Napoleão, que estreia nessa quinta nos cinemas.

O filme pretende ser um olhar pessoal sobre as origens de Napoleão Bonaparte (Joaquin Phoenix) e sua rápida e implacável ascensão a imperador. Também se propõe a mostrar o seu relacionamento visceral e muitas vezes volátil com sua esposa e verdadeiro amor, Josephine (Vanessa Kirby, substituindo Jodie Comer). Vindo do nada, como um oficial de artilharia do exército francês, o longa retrata sua jornada, até ser derrotado e exilado na ilha de Santa Helena. Conquistando o mundo para tentar conquistar o amor dela, suas táticas lhe renderam uma forte reputação. Foi inclusive  preciso sete coalizões de potências diferentes para derrotá-lo.

O que achei?

O filme já começa com uma liberdade criativa, com a descrição da decapitação de Maria Antonieta, e que isso teria sido testemunhado pelo jovem Napoleão. Jovem em termos, já que o filme não faz grandes esforços para tentar convencer que o cinquentão Joaquin seria um rapaz de 24 anos nesse início. A partir de então, o filme conta – meio aos trancos e barrancos – como foi essa ascensão. Apesar de suas sentidas 2h40, há momentos em que Napoleão deixa de mostrar momentos importantes para o bom entendimento da história. Isso porque Ridley quer dar o destaque real para aquilo que ele mais gosta – as batalhas. Sim, essas são bem grandiosas – afinal Ridley sabe fazer as coisas. Entretanto, tirando uma ou outra cena (o cavalo atingido logo no início), as cenas parecem mais do mesmo. Quem viu a Batalha dos Bastardos de Game of Thrones vai me entender, rs.

Com isso, quem sai perdendo nessa história é a personagem de Josephine. Em alguns diálogos, o roteiro dá a entender que ela tem uma importância estratégica que não se materializa. Também é difícil entender se há amor da parte dela ou somente dependência. E isso tudo é uma pena, pois Vanessa Kirby é uma atriz sensacional e magnética. Entretanto, isso é só um reflexo da sensação que o filme deixa. Muito formato, e pouco conteúdo.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Premiações

Acredito que todos esses eventos da Temporada de Premiações precisam se reinventar. O politicamente correto acaba se tornando mais importante do que a melhor...

Moda

Normalmente, eu acho que é no SAG Awards que as atrizes estão mais elegantes. Não foi diferente dessa vez. Claro, há sempre os “erros...

Streaming

Eu tentei ver o primeiro episódio de Glamorous, que está na Netflix, mas achei tudo muito chato. Assim, desisti. Mas o meu amigo José...

Premiações

Neste sábado, dia 24, vai acontecer o SAG Awards 2024. Para quem não sabe, o SAG Awards é o prêmio do Sindicato dos Atores,...

Cinema

Antes da pandemia, em 2019, todo mundo estava falando sobre um “jogo” chamado Baleia Azul. Ele era um conjunto de 50 desafios diários e...

Você também pode gostar de ler

Séries

É sempre difícil quando uma série que você acompanha há muito tempo termina. Fica uma sensação de vazio de não poder esperar mais por...

Cinema

Outro dia, Steven Spielberg foi filmado dizendo a Tom Cruise que ele era o responsável por salvar o cinema pós-pandemia. Tudo graças ao resultado...

Cinema

Há dois anos, Florian Zeller dirigiu a versão para o cinema de uma de suas peças, Meu Pai. Foi elogiada por todos, e inclusive...

Cinema

Na semana de estreia de Top Gun: Maverick (ótimo por sinal, aguarde a crítica), vem mais Tom Cruise por aí. Saiu hoje o primeiro...

Streaming

A concorrência entre os streamings está cada vez mais acirrada. Todo mundo buscando conteúdos para atrair a atenção – e o dinheiro – do...

Gossip

Ridley Scott, mesmo tendo passado dos 80, não para. Em 2021 ele dirigiu O Último Duelo e Casa Gucci. E agora se prepara para...

Cinema

Apesar de não assistir novelas há um bom tempo, eu adoro um bom novelão. Cheio de dramas, descabelamentos, e gente rica, rsrs. Quem não??...

Cinema

A produção de O Último Duelo, que estreou nessa semana nos cinemas, é maravilhosa. Isso sempre é um destaque na filmografia de Ridley Scott....