fbpx

Reza a Lenda traz um mix diferente para o cinema brasileiro

 data-srcset

O cinema nacional vem tendo excelente resultados com comédias, como todo o mundo sabe. Logo, deverá ter um novo campeão de bilheteria com a estreia de Os 10 Mandamentos, que investe forte no público que acompanhou a novela. Mas achei interessante o caminho escolhido por um outro filme, que estreou hoje (21) nos cinemas. Reza a Lenda faz uma mistura de faroeste com Mad Max e Sem Destino, com um sotaque da caatinga, algo que nunca se viu, pelo menos que eu me lembre, no cinema brasileiro.

Com uma bela fotografia, o filme mostra uma terra sem lei onde Ara (Cauã Reymond, também produtor), um homem de ação e poucas palavras, é o líder de um bando de motoqueiros armados. Eles acreditam em uma antiga lenda sobre a estátua de uma santa, que será capaz de devolver justiça e liberdade ao povo da região. Mas quando eles a roubam, acabam despertando a fúria de um coronel local, Tenório (Humberto Martins). E este vai concentrar todas as suas forças em uma perseguição para destruir o bando de Ara e recuperar aquilo que acredita ser seu por direito. Durante a perseguição, perdida num lugar onde não deveria estar, Laura (Luisa Arraes) é resgatada de um acidente e tem que seguir o bando contra a sua vontade, pelo menos no início. Só que acaba despertando ciúmes em Severina (Sophie Charlotte), companheira de Ara.

O filme exagera em algumas situações (a luta com as espadas poderia ser ótima, mas é coreografada demais). Mas no geral, me surpreendeu com uma produção bem feita, que abusa de belas imagens panorâmicas. Bem se vê que seu diretor, Homero Olivetto, veio do mercado publicitário.  Não é um filme que apresenta uma realidade de sertão, tudo é estilizado e, por isso mesmo diferente e interessante.

O sucesso de Cauã Reymond, atualmente na novela das 9, deve levar muitas fãs ao cinema. Afinal, mesmo barbudo, ele está bem e sexy como o personagem principal. Minha grande surpresa foi a sempre tão delicada e linda Sophie Charlotte como Severina, uma mulher violenta, dura e sem um pingo de glamour. E ela dá conta do recado.

Aliás, eu bati um papo com ela (super doce e simpática), com Luisa Arraes e com Humberto Martins, que foi exibido no programa ShowVip. Foi uma delícia. Dê uma olhadinha:

 

 style
 style

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *