fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

Prepare-se para se emocionar com A Culpa é das Estrelas!

Não se engane! Você vai chorar assistindo A Culpa é das Estrelas, baseado no best-seller de John Green, que estreia este fim de semana nos cinemas. Por isso sugiro que o assista com amigos/amigas e não num encontro romântico (você vai sair com o nariz vermelho e isso não é recomendável). O filme é considerado corretamente um romance entre adolescentes. Só que são adolescentes com câncer. Este princípio já faz com que o drama seja maior ainda. Mas, surpreendentemente, o roteiro não apela para pena e a história de amor e superação de Hazel Grace e Augustus fala de perto com pessoas de todas as idades.

No começo, Hazel Grace (Shailene Woodley) já diz para a audiência que sua história não tem nada a ver com um romance feliz de garotas da sua idade. Ela tem 16 anos e tem câncer no pulmão. Graças a um tratamento especial ou milagre, ela ainda sobrevive, mas pode morrer a qualquer momento. Numa reunião com um grupo de apoio, ela conhece Augustus (Ansel Elgort), um ex-atleta, que também perdeu uma perna para o câncer. Logo no início os dois tem uma identificação, ambos têm senso de humor e uma forma muito especial de aceitar os problemas de seu dia a dia.

Este relacionamento tem belos momentos, especialmente quando Augustus a leva para conhecer o autor de seu livro preferido (Willem Dafoe) e falam sobre si mesmos num jantar romântico. Ambos são inteligentes e não se parecem nem um pouco com os adolescentes que nos acostumamos a ver em filmes para este público. E isso também se deve muito à química entre os atores principais, Shailene Woodley e Ansel Elgort. Shailene já havia demonstrado seu talento em filmes como Os Descendentes e na série A Vida Secreta de uma Adolescente Americana, portanto sua atuação emocionante não me surpreende. Mas fiquei extremamente impressionada com Ansel Elgort. Ele que parecia “um nada” em Divergente, onde faz o irmão de Tris, personagem de Shailene, aqui se torna um jovem apaixonante. Ele “segura” bem o papel tanto nos momentos felizes quanto nos mais tristes.

O elenco de apoio também não fica atrás, com o destaque óbvio para Laura Dern como a mãe de Hazel Grace. Além dela, Sam Trammel, que conhecemos de True Blood como Sam, tem uma atuação de destaque como o pai amoroso.

Confesso que no início não achei que o filme me marcaria tanto. Mas o fez. E no final, você nunca mais vai falar a palavra OK sem lembrar desta bela aventura sobre dois apaixonados.

Eliane Munhoz

2 Comentários

1 Comentário

  1. Liliane Coelho

    5 de junho de 2014 às 1:47 am

    Parece ser um raro caso de um filme jovem e popular, mas tbm fino e realmente bonito.

  2. Leanda Livia

    10 de junho de 2014 às 3:55 am

    Acho que o filme vai muito além da tristeza de doenças ou algo feito para jovens se encorajarem.
    Ao meu ver o mais importante neste filme é mostrar o amor em sua mais bela forma, a que não é egoísta! além de mostrar as pessoas como é importante viver cada dia buscando a felicidade, pois, o amor e os sorrisos são o pedaço de você que deixará no mundo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Streaming

Hoje é dia de rock, bebê! O cinema já fez várias biografias de grandes nomes do rock. E nesse dia internacional do rock, aqui...

Streaming

Glen Powell é o cara que está em todas. Só nesse ano, teve três filmes super comentados. Todos Menos Você, Assassino por Acaso e...

Cinema

Um de meus filmes favoritos de desastre (um gênero que gosto muito) é Twister, de 1996. Acho que tem um roteiro arrumadinho, que consegue...

Cinema

As comédias românticas encontraram uma casa – e um público fiel – no streaming . Por isso, é interessante – e uma bem-vinda surpresa ...

Cinema

Já começo avisando que Maxxxine é a parte final de uma trilogia. Apesar de ter sido filmado em ordem diferente, cronologicamente ele começa com Pearl(...

Você também pode gostar de ler

Cinema

Michael Mann é um aficionado por corrida de carros. Já tinha produzido o ótimo Ford vs Ferrari ( disponível no Star Plus) . E...

Cinema

Hoje em dia, com a popularização do streaming, alguns fatos curiosos acontecem. Filmes que teriam tudo para ir bem no cinema vão direto para...

Cinema

Há dois anos, Florian Zeller dirigiu a versão para o cinema de uma de suas peças, Meu Pai. Foi elogiada por todos, e inclusive...

Cinema

Me lembro perfeitamente a sensação de deslumbre quando vi o primeiro Jurassic Park lá nos anos 90. Os dinossauros eram perfeitos e você se...

Cinema

Confesso que admiro esses diretores consagrados que resolvem mexer no vespeiro de fazer uma refilmagem de sucessos incontestáveis. E principalmente, que estão completamente arraigados...

Cinema

O filme só chega em 2022. Mas hoje (23), a Universal disponibilizou os cinco primeiros minutos de Jurassic World:  Domínio. É chamado de prólogo....

Cinema

Eu me lembro de ter ouvido falar sobre Amor a Três no fim de 2019, por causa da atuação de Shailene Woodley. Chegavam até...

Cinema

Há uma coisa que sempre me emociona quando vejo filmes românticos. É o “e se…”. Ou seja, caminhos que poderiam ter sido seguidos e...