fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

Policial Sede Assassina começa bem e termina mal

Hoje em dia, com a popularização do streaming, alguns fatos curiosos acontecem. Filmes que teriam tudo para ir bem no cinema vão direto para o streaming. É o caso de O Pacto, que vai estrear essa semana na Prime Video.  E há também o reverso. Filmes com toda a cara de streaming que acabam passando primeiro no cinema. Este é o caso de Sede Assassina, que tem a direção de Damián Szifron (de Relatos Selvagens), e com Shailene Woodley no papel principal. É aquele tipo de policial que começa muito bem, mas que tem um final “mais do mesmo”. Estreia nessa quinta nos cinemas brasileiros.

No filme,  Eleanor (Shailene Woodley) é uma jovem investigadora que luta contra os demônios do seu passado,  quando é chamada à cena de um crime brutal cometido por um serial killer. A partir daí, acompanhamos a polícia e o FBI em uma desesperada caçada para identificar e capturar o assassino . A cada tentativa de capturar o criminoso, a polícia e o FBI são frustrados por seu comportamento imprevisível e sem precedentes. Eleanor, mesmo sendo uma investigadora inexperiente, percebe que ela pode ser a única capaz de entender a mente desse assassino.

O que achei?

Só pela pequena sinopse, já dá pra perceber que o filme tem muita “inspiração” de clássicos do gênero como O Silêncio dos Inocentes e O Colecionador de Ossos. Ben Mendelsohn faz o mentor que vê o talento para o caso em Eleanor. O filme, além da investigação, também mostra problemas de bastidores. Políticos querendo se envolver na história, a polícia e o FBI brigando para ver quem tem o protagonismo.

Tudo começa muito bem com uma sequência inicial nervosa e bem filmada. Há uma outra também muito boa de uma perseguição num shopping. Esses são os highlights de Sede Assassina. O filme ainda conta com atuações sempre magnéticas de Shailene e de Mendelsohn. Mas, na meia fora final, a história cai num “mesmismo” que dá até sono. O papo entre Eleanor e o assassino é extremamente cansativo, e o resultado final é pior ainda. Uma pena! Começa muito bem, e termina mal.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Séries

A Netflix soltou hoje um vídeo de bastidores de Stranger Things. A quinta e última temporada está ainda sendo filmada e deve estrear somente...

Streaming

Nesse dia 14 de julho, grande feriado francês devido à Queda da Bastilha, vale ver um filme francês, certo? Aqui estão seis filmes do...

Streaming

Hoje é dia de rock, bebê! O cinema já fez várias biografias de grandes nomes do rock. E nesse dia internacional do rock, aqui...

Streaming

Glen Powell é o cara que está em todas. Só nesse ano, teve três filmes super comentados. Todos Menos Você, Assassino por Acaso e...

Cinema

Um de meus filmes favoritos de desastre (um gênero que gosto muito) é Twister, de 1996. Acho que tem um roteiro arrumadinho, que consegue...

Você também pode gostar de ler

Cinema

Michael Mann é um aficionado por corrida de carros. Já tinha produzido o ótimo Ford vs Ferrari ( disponível no Star Plus) . E...

Streaming

Os grandes nomes da moda, que criaram o conceito de alta costura, já foram tema de vários filmes e séries. No cinema, lembro-me de...

Streaming

Jodie Foster é uma de minhas atrizes preferidas da vida. Duas vezes vencedora do Oscar, estrela de vários sucessos de bilheteria. E ainda uma...

Streaming

Denzel Washington é uma daquelas raras unanimidades do cinema. Sinceramente, não conheço ninguém que não goste dele e não admire seu talento. E agora...

Streaming

Tem muita coisa boa estreando na Prime Video nesse mês. Há vários filmes que vi no cinema, e que agora estão chegando no serviço....

Streaming

Conheço muita gente que tem preconceito com musicais (eu amo). Também muita gente que tem preconceito com os grandes clássicos da literatura  no cinema...

Cinema

Eu me lembro de ter ouvido falar sobre Amor a Três no fim de 2019, por causa da atuação de Shailene Woodley. Chegavam até...

Cinema

Há uma coisa que sempre me emociona quando vejo filmes românticos. É o “e se…”. Ou seja, caminhos que poderiam ter sido seguidos e...