fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

A homenagem à memória afetiva dos fãs no novo Jurassic World

Me lembro perfeitamente a sensação de deslumbre quando vi o primeiro Jurassic Park lá nos anos 90. Os dinossauros eram perfeitos e você se sentia totalmente transportado para aquele mundo tão diferente de tudo. Esse primeiro filme ainda é relevante e perfeito, mesmo  tantas décadas depois – está disponível no Paramount Plus e no Telecine. Depois tivemos mais duas sequências (lembra que Julianne Moore estava em uma delas, rs?). O tempo passou e veio um reboot/sequência, com Chris Pratt, com o novo nome de Jurassic World. Ele funcionou, e foi seguido por Jurassic World – Reino Ameaçado, que, para mim, é o mais fraco de todos. Fico feliz de ver que o terceiro filme da nova fase, Jurassic World: Domínio, se recupera. Ele estreia nessa quinta nos cinemas, e é um grande presente para os fãs.

 

Primeiro, a história. Tudo se passa quatro anos depois dos eventos de Reino Ameaçado. Os dinossauros estão espalhados no mundo, alguns pacificamente e outros nem tanto. Enquanto isso, os governos do planeta se esforçam para encontrar formas de contê-los. Uma das alternativas é contratar a gigante tecnológica BioSyn, que promete manter os dinos capturados em um santuário isolado. Lá eles poderão ser estudados para avanços medicinais. Só que a Dra. Ellie Sattler detecta uma praga de gafanhotos geneticamente modificados destruindo plantações pelos Estados Unidos. E resolve começar a investigar a empresa. Paralelamente, Owen e Claire estão vivendo num local isolado com a jovem Maisie, que está constantemente em perigo de ser descoberta.

O achei do novo Jurassic World?

Minha dica é de ver novamente Reino Ameaçado. Ele pode ser o mais fraco de todos, mas é importante relembrar certas coisas para poder acompanhar melhor a história de Domínio. Está disponível no Now. Jurassic World: Domínio tem mensagens claras: é a favor dos animais e contra as grandes corporações. O vilão – a gente logo descobre –  é o presidente da BioSyn, Lewis Dodgson. Quem é fã mesmo se lembra que o personagem apareceu lá no primeiro Jurassic Park . Ele é quem entrega uma lata falsa de creme de barbear para Nedry para armazenar os embriões roubados. Agora o persoangem é feito pelo sumido Campbell Scott, com um look que faz paródia de grandes visionários, tipo Jeff Bezos. O filme consegue balancear bem sua mensagem importante (sem ser chato) com a ação e o suspense que a gente espera de um filho de Jurassic Park.

Entre o humanos, o grupo se divide entre os novos – Chris Pratt, Bryce Dallas Howard e a ótima DeWanda Wise –  e os clássicos. Que prazer ver de volta o trio Sam Neill, Laura Dern e Jeff Goldblum. E o melhor de tudo, com arcos e histórias importantes , não somente como “homenagem”. As histórias dos dois grupos andam paralelas até o grande encontro no terço final de Domínio. O filme também traz de volta com momentos relevantes BD Wong (tem até piada que ele sempre está lá, rs) e Omar Sy. Em Jurassic World, ele era um mero coadjuvante, mas aqui ganha um papel importante, e várias cenas de ação. Adorei! Arrumam até duas cenas para o chatinho do Justice Smith!

E no final…

Os dinossauros continuam excepcionais. Há cenas de grande suspense – a do lago congelado é ótima, e também muito suspense e ação –  com todas as sequências em Malta. Me lembrou até filmes de 007. Mas, o que mais me arrebatou foi a forma como homenagearam a memória afetiva de todos os fãs. Há uma determinada cena com Laura Dern e um dinossauro bebê em que ela diz “É sempre emocionante”. Não poderia estar mais certa.

2

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Premiações

Acredito que todos esses eventos da Temporada de Premiações precisam se reinventar. O politicamente correto acaba se tornando mais importante do que a melhor...

Moda

Normalmente, eu acho que é no SAG Awards que as atrizes estão mais elegantes. Não foi diferente dessa vez. Claro, há sempre os “erros...

Streaming

Eu tentei ver o primeiro episódio de Glamorous, que está na Netflix, mas achei tudo muito chato. Assim, desisti. Mas o meu amigo José...

Premiações

Neste sábado, dia 24, vai acontecer o SAG Awards 2024. Para quem não sabe, o SAG Awards é o prêmio do Sindicato dos Atores,...

Cinema

Antes da pandemia, em 2019, todo mundo estava falando sobre um “jogo” chamado Baleia Azul. Ele era um conjunto de 50 desafios diários e...

Você também pode gostar de ler

Cinema

Para mim é muito óbvio que o diretor Matthew Vaughn é o maior fã que existe do mundo dos espiões – e especialmente de...

Cinema

O cinema francês tem várias opções disponíveis no streaming – e também vários conseguem ainda ser lançados no cinema. Nesse último caso, estreou esta...

Streaming

Assisti as duas primeiras partes de Lupin juntas numa maratona só. Na época, disse que a série era uma das melhores do ano. Isso...

Cinema

Omar Sy é um dos poucos atores não americanos que conseguem atrair o público em geral para seus filmes. Isso veio desde seu grande...

Streaming

Para quem não tem streaming, aqui vão algumas opções de filmes que vão estrear no canal Telecine neste mês de julho. Eles também estarão...

Cinema

Há dois anos, Florian Zeller dirigiu a versão para o cinema de uma de suas peças, Meu Pai. Foi elogiada por todos, e inclusive...

Cinema

Desde o primeiro Jurassic Park, filmes com dinossauros ganharam um apelo ainda maior junto ao público. Até em séries, como por exemplo, Terra Nova...

Streaming

Quem não adora Omar Sy? Pois completa 45 anos na sexta (dia 20). E tem maratona de filmes com ele no  Telecine Touch exibe...