fbpx

Os exuberantes amigos de Druk: Mais uma Rodada

As formas de ver entretenimento estão mudando mais rapidamente do que se esperava.  Com boa parte das salas de cinema fechadas, o mundo se volta para o streaming. Ainda ontem, a Disney anunciou que alguns de seus grandes filmes terâo um lançamento simultâneo com o streaming, no premiere access do Disney Plus. A um preço de 29,99 dólares nos Estados Unidos, as pessoas poderão ver  filmes como Viúva Negra, da Marvel. Esse plano já foi feito inclusive aqui no Brasil com Raya e o Último Dragão. E agora, mais um, dessa vez  concorrente do Oscar vai seguir a mesma estratégia. Druk: Mais uma Rodada, com Mads Mikkelsen, vai estrear nas sala de cinema (onde estiverem abertas) nessa quinta (25).

No mesmo dia, acontece o  lançamento digital. Inicialmente no NOW, iTunes/Apple TV, Google Play e YouTube Filmes  somente para compra. A partir do dia 8 de abril, com uma expansão de plataformas e formatos, incluirá também Vivo Play e Sky Play, para compra e aluguel.

Druk : Mais uma Rodada concorre em duas categorias no Oscar. Uma inesperada, a de direção para Thomas Vinterberg. E outra onde é o favorito, a de filme estrangeiro, representando a Dinamarca. Ele já ganhou o Cesar, e também concorre no BAFTA. É uma mistura de sátira, crítica social e drama. Em alguns momentos tem até um detalhe que lembra um desenho animado. Na história, um grupo de professores de ensino médio decide testar uma ousada teoria. Segundo ela, as pessoas serão mais felizes e bem-sucedidas vivendo com um pouco de álcool no sangue. Parece a solução perfeita para quebrar o marasmo de seus dias. Só que, claro, nem tudo sai como esperado.

A crítica

Martin é o principal deles. Não se anima mais com suas aulas de história, não consegue conversar com a família. E na atuação, sempre ótima de Mads Mikkelsen, é possível você entender um pouco mais sobre as atitudes desses homens. Os outros  são professores de educação física, música e filosofia. A princípio todos tem bons resultados, e voltam a se entusiamar com o trabalho e com a vida. O problema é quando eles resolvem aumentar o nível alcoólico da experiência. E como isso vai afetar cada um deles de forma diferente.

O filme, é claro, pode ser incômodo. Você passa a se importar com todos eles, a entender seus dramas. Mas o interessante, é que mesmo quando o diretor parece querer manipular, até dar uma lição de moral, a coisa muda.  A ideia é aproveitar o momento, sem acusar nenhum dos envolvidos. O filme  Druk até tem um final incrível, um momento de suspense, que faz você ficar imaginando o que virá pela frente na vida desses homens. E é uma beleza de ver a entrega de Mads Mikkelsen!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *