fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

O tempo e o espaço de O Primeiro Homem

Há muita gente que ama histórias sobre a corrida espacial e a chegada do homem à Lua. Esses, com certeza, vão gostar muito de  O Primeiro Homem, que chega essa semana aos cinemas. É o primeiro trabalho de Damian Chazelle depois do Oscar de La La Land e o reúne de novo com Ryan Gosling. No filme, Ryan é o primeiro homem a pisar na Lua, Neil Armstrong. A história aborda tanto o lado pessoal da vida de Armstrong – sua relação com os amigos e a família – como também o lado profissional, com o brilhantismo que o faz ser o escolhido para a missão de chegar à Lua.

O filme parece quase um documentário, um objetivo claro de Chazelle. Ele começa com uma situação de um possível erro de Armstrong, que consegue retornar à Terra apesar de tudo. Em alguns momentos é possível perceber cenas reais intercaladas com as de ficção. Tudo obviamente muito bem feito, e como é um filme de Chazelle, com uma trilha sonora poderosa.

Mas há um problema. Com duas horas e 21 minutos, o filme é longo demais. As descrições de momentos no espaço levam mais tempo do que necessário, começando pela sequência inicial. Gosto muito de Chazelle, mas achei que este é o seu filme mais fraco, apesar de bem intencionado. E apesar de muita gente defender o fato que Neil Armstrong era um homem que não demonstrava emoções, eu realmente estou um pouco cansada de Ryan Gosling, que faz tudo sempre igual. Neil aqui não é muito diferente de Sebastian de La La Land, mesmo que os dois personagens não possam ser mais distantes.

Com isso, realmente quem brilha é Claire Foy, de The Crown, como a esposa de Armstrong. Forte, poderosa, ela é a fortaleza do herói. E além do mais, a atriz optou por usar pouquíssima maquiagem, mesmo em closes  bem fechados. Só isso, já lhe valeria um prêmio. mas ela é muito mais. Já é minha aposta para um indicação ao Oscar de atriz coadjuvante.

É claro que o filme dá grande ênfase ao momento mais importante, a chegada à Lua. Sim, é emocionante. Mas também  gerou sua fatia de controvérsias. Depois da exibição no festival de Veneza, muita gente reclamou da ausência da cena em que Neil coloca a bandeira norte-americana na Lua. Chazelle disse que ” isso transcende países e fronteiras…E eu creio que foi considerado por muitos no final como uma conquista humana e é como nós escolhemos mostrar. Eu também acho que Neil foi extremamente humilde, assim como muitos desses astronautas. Várias vezes ele tirou o foco de si mesmo para as 400 mil pessoas que tornaram a missão possível. Eu posso ter um viés cognitivo, mas não acho que Neil se visse como um herói americano. Em minhas entrevistas com sua família e pessoas que o conheceram, parecia exatamente o oposto. E nós queríamos que o filme refletisse Neil.”

Damian Chazelle, Claire Foy e Ryan Gosling em Veneza. Foto Kirsty Wigglesworth/AP/REX/Shutterstock

As demais fotos usadas são de divulgação.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de ler

Cinema

A produção de O Último Duelo, que estreou nessa semana nos cinemas, é maravilhosa. Isso sempre é um destaque na filmografia de Ridley Scott....

Cinema

Em 2018, o filme Halloween deu um “refresh” na franquia de mais de 40 anos. Quebrou vários recordes, e fez muito dinheiro. Já deixou...

Cinema

Ridley Scott é quase sempre referência quando se fala em um espetáculo grandioso. Já foi indicado quatro vezes ao Oscar, uma delas por Gladiador....

Cinema

O feriado de Nossa Senhora de Aparecida me parece um bom dia para escrever a crítica do filme de Nossa Senhora de Fátima. Fátima:...

Cinema

Lembro que quando Venom  estreou em 2018, todo mundo esperava pelo pior. Mas o filme tinha um bom ritmo, e ainda os diálogos divertidos...

Streaming

Comédia romântica é um de meus gêneros preferidos. Sempre busco alguma perdida no streaming. E, por várias vezes, passei por Te quiero, Imbecil na...

Cinema

Eu gosto dos filmes de James Bond da fase de Daniel Craig. Menos Spectre, que é bem fraco, especialmente no que diz respeito à...

Streaming

Sexo vende e todo mundo sabe. Especialmente em tempos de pandemia quando o contato fica mais difícil. Então vários conteúdos disponíveis no streaming tiveram...