fbpx

Adeus, James Garner!

Um de meus atores favoritos, James Garner não é muito reconhecido como um grande ator. Mas, com uma carreira de mais de 50 anos, era uma figura extremamente admirada. Para mim, que comecei a admirá-lo desde bem pequena quando assistia as comédias da sessão da tarde como Tempero de Amor e Eu, Ela e a Outra, ambos com Doris Day,  significou a perda de um comediante suave, um homem bonito, alguém que você acompanha há muito tempo. Triste!

Herói da guerra da Coréia, ele estreou no cinema em Impulsos da Mocidade. Depois de algumas participações em séries e de seu primeiro papel de destaque em Sayonara, ao lado de Marlon Brando, James teve um dos maiores sucessos de sua carreira: a série de faroeste Maverick, que durou seis temporadas. Sim, é aquela mesma que anos mais tarde, foi levada ao cinema com Mel Gibson como Maverick e que James teve também um grande papel como Zane Cooper.

Durante os anos 60 teve uma grande carreira no cinema, James alternou as comédias românticas da sessão da tarde com filmes de ação como o excelente Fugindo do Inferno(1963) ou a melhor produção sobre automobilismo já feita, Grand Prix (1966).

Já nos anos 70, ele voltou á TV com um série pouco vista chamada Nichols, que antecedeu àquela que teve uma das atuações mais populares de James: Arquivo Confidencial. Para todos que só conhecem o nome como um quadro do Domingão do Faustão, Arquivo... era uma série divertida e inteligente sobre o detetive Jim Rockford, um cara que preferia nunca se meter com problemas mas que na profissão acaba sempre correndo do perigo. Durou seis temporadas.

Com o fim da série,  ele estrelou um de meus filmes favoritos, Victor ou Victoria (1982). Brilhante comédia musical, dirigida por Blake Edwards  como um veículo de estrela para sua mulher Julie Andrews. James e Julie já haviam feito juntos o fracasso Não Podes Comprar o meu Amor  em 1964. Mas aqui, a química entre os dois foi perfeita. Julie é Victoria, uma cantora desempregada, que se torna muito famosa passando por um travesti. Só que um belo dia, conhece um charmoso gangster (James), por quem se apaixona. Mas o que fazer já que ele pensa que ela é um homem? A parceria de James e Julie ainda renderia mais um filme, desta vez, feito para em TV em 1999, One Special Night.

Com o sucesso, de Victor ou Victoria, James viu sua carreira ganhar um novo fôlego. Em 1985, ele teve sua única indicação ao Oscar com O Romance de Murphy, onde ele e Sally Field começam um relacionamento apesar da diferença de idade. Ele também se reuniu novamente com Blake Edwards para filmar Assassinato em Hollywood, com Bruce Willis, um comédia divertida que, entretanto, foi um fracasso de bilheteria.

Depois de voltar ao seu querido personagem Jim Rockford em vários filmes para a TV, James fez aquele filme pelo qual provavelmente será mais lembrado pela nova geração: Diário de um Paixão, aquele filme que faz todo mundo chorar. Ao lado de Gena Rowlands,  os momentos dos dois estão entre os mais emocionantes. Por este filme, james recebeu uma indicação para o SAG´s como melhor ator coadjuvante.

Depois de uma participação na série 8 Simple Rules, James fez aquele que seria seu último filme, O Presente, de 2006, com Abigail Breslin. A saúde já começava a apresentar problemas. Mas, para nós, os fãs, a imagem daquele homem tão lindo, simpático e sorridente, é a que fica. Uma de suas frases reflete bem seu jeito desapegado e simples. ” Eu comecei nesse negócio para colocar um teto sobre minha cabeça. Eu não queria ser uma estrela. Eu só queria continuar trabalhando”.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *