fbpx

Os segredos das veteranas em Blow the Man Down

Eu adoro descobrir alguns filmes nos serviços de streaming sobre os quais quase ninguém fala. Costumo dizer que são “minhas descobertas”, rs. Um desses é o policial Blow the Man Down. É mais um daqueles filmes que se passam em cidadezinhas pequenas, mas que todo mundo tem um segredo. Mas o destaque aqui é o trabalho das atrizes veteranas, que roubam a cena. Blow the Man Down está disponível na Amazon Prime Vídeo.

A cidade no caso é a pequena vila de pescadores de Easter Cove. Tudo começa quando as irmãs Mary Beth e Priscilla perdem a mãe e ficam responsáveis pelas dívidas do lar. Só que um encontro fatídico em um bar local força Mary Beth a matar um estranho em legítima defesa. Ela pede então pede ajuda para Priscilla – que é mais racional e saberá o que fazer. A dupla planeja se livrar do corpo sem deixar vestígios. Só que o crime não passará despercebido, especialmente numa cidade tão cheia de segredos.

A crítica

Cada fase da história  de Blow the Man Down começa com um coro de pescadores, que dá um diferencial à história. Há também várias claras influências de histórias de Woody Allen (Poderosa Afrodite) ou ainda dos irmãos Coen. Mas as diretoras e roteiristas Danielle Krudy e Bridget Savage Cole conseguem também deixar uma marca própria. Especialmente pela forma como apresenta todo o submundo que lá existe, mas não é visto abertamente.

As atrizes principais são Sophie Lowe (a Alice de Once Upon a Time in Wonderland) e Morgan Saylor (a Dana Brody de Homeland). Estão muito bem. Mas quem rouba a cena são as veteranas. A sempre incrível Margo Martindale faz Enid, a dona de um prostíbulo  com cara de pousada. Tem momentos ótimos. Mas também há o trio de “influenciadoras”. Elas são vividas por Annette O’Toole, de Virgin River, e Marceline Hugot (a Gladys de The Leftovers) e por June Squibb. Aliás, que energia June tem, hein? Aos 91 anos, ela está em todos os lugares. Só nos útlimos meses foi a mãe de Hubie em O Halloween do Hubie, a avó de Palmer, e ainda a voz de Gerel em Soul. Que energia!. É dela a última cena/reviravolta do filme, e o motivo para uma boa risada. vale ver!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *