fbpx

O Segredo : Ouse Sonhar é o típico filme fofinho!

 data-srcset

Provavelmente você já leu ou ouviu falar de O Segredo. É um livro de autoajuda escrito por Rhonda Byrne em 2006 e que foi lançado alguns meses após o lançamento do documentário homônimo. Fala sobre a lei da atração e afirma que o pensamento positivo pode criar resultados de mudança de vida, tais como o aumento da felicidade, saúde e riqueza. Acreditando ou não nesse princípio, é preciso reconhecer o apelo para o público. Tanto que agora foi feito mais um filme que conta uma história seguindo esse preceito. O Segredo: Ouse Sonhar ia ser lançado nos cinemas, mas devido à pandemia acabou indo direto para vídeo on demand. Eu o assisti no looke.com.br. Sabe que é gostoso de ver?

Miranda (Katie Holmes) é uma viúva que se esforça para criar três filhos sozinha. Ela namora com o dono do restaurante em que trabalha (Jerry O’Connell). Só que uma tempestade traz um grande desafio e um homem chamado Bray Johnson (Josh Lucas) para sua vida. A presença de Bray revitaliza a família, mas ele possui um segredo que pode mudar tudo.

A crítica

O filme é dirigido por Andy Tennant, que já fez um dos meus filmes preferidos da vida, Para Sempre Cinderela, com Drew Barrymore, lá em 1998. Tudo se passa numa daquelas cidadezinhas pequena americanas que mesmo as pessoas mais pobres moram em casas maravilhosas. Até o pôr do sol parece mais lindo. Lembra um pouco aqueles romances de Nicholas Sparks (mas com final feliz). Você com certeza, já viu histórias parecidas.

Josh Lucas usa todo o seu charme para construir um personagem irresistível. Ele não só é bonito e sexy, mas também inteligente e se oferece para ajudar a família quando a tempestade quase destrói a casa em que vivem. Ele, é claro, vive sob os princípios de O Segredo, e tem uma fala “profunda” para cada situação. É impossível não se apaixonar por ele. E é o que claramente acontece aos poucos com Miranda. Mesmo sem grande química  entre Katie Holmes e Josh Lucas, o filme é gracinha e vai fazer você passar facilmente as duas horas.

Eu nunca li o livro e não sou uma pessoa que crê em tudo isso. Mas, é claro, que para quem acredita, o filme vai funcionar muito bem. Especialmente nesses tempos tão cinzentos em que vivemos, é legal ver uma história fofinha como essa.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *