fbpx

Mais um romance de Nicholas Sparks chega aos cinemas

É incrível a capacidade de produzir histórias (e de produzirem filmes baseados em seus  romances) de Nicholas Sparks. Gosto de alguns, acho outros médios. Mas sempre vejo com prazer.  Uma Longa Jornada, que estreia hoje (30) nos cinemas, é o décimo filme e está entre os médios. Isso não impede que tenha assistido numa boa as suas 2 horas e 19 minutos.

O filme conta a história de amor complicada entre Luke (Scott Eastwood), um antigo campeão de rodeios, tentando voltar ao topo, e Sophia (Britt Robertson), uma universitária que está prestes a começar no emprego dos seus sonhos no mundo das artes longe dali, em Nova York. Com caminhos e ideais conflitantes testando o seu relacionamento, Sophia e Luke têm um encontro inesperado com Ira (Alan Alda), cujas memórias de seu próprio romance do passado inspiram o jovem casal a visualizar desafios e as recompensas do amor duradouro.

Dessa forma, acompanhamos duas histórias, tanto a de Luke e Sophia atualmente, como a de Ira e Ruth (vividos por Jack Huston e Oona Chaplin) no passado. O problema é que há momentos em que a história antiga, que deveria apenas servir como inspiração, se torna bem mais interessante e envolvente do que a atual. Talvez o problema seja o casal central,  Britt e Scott, que não tem grande química, principalmente pela falta de talento dele. É lindo, mas sem graça. Ainda vai ter que aprender muito para chegar perto do carisma do pai, Clint Eastwood.

Por outro lado, o casal feito por Jack Huston e Oona Chaplin é um charme, e você consegue ver claramente o amor incondicional que o diretor George Tillman Jr. tinha a intenção de mostrar. São eles que vão fazer você se emocionar quando estiver assistindo o filme.

Uma Longa Jornada ainda tem algumas curiosidades como a participação de Lolita Davidovich, depois de sumida por uns tempos, como a mãe de Luke, e Melissa Benoist (de Glee e Whiplash) como a amiga Marcia. Com aquela beleza e aquela luz quando sorri, é uma pena que Melissa tenha uma participação tão pequena. Ficaria bem melhor no papel principal.

E ainda o fato interessante que o filme tem a presença de três membros da nova geração da realeza de Hollywood. Afinal, além de Scott (filho de Clint), tem Danny Huston, que  é neto do diretor John Huston, e Oona Chaplin, neta de ninguém menos que Charlie Chaplin.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *