fbpx

Clássicos que chegam em junho no Belas Artes a la Carte

Os fãs de clássicos tem sempre dificuldades de achar os filmes no streaming. De vez em quando se “pesca” um aqui, outro ali. Mas, #ficaadica, o Belas Artes a la Carte tem um monte. E nesse mês de junho tem outros chegando. Veja aqui alguns que estão chegando no serviço.

10 de junho

Boccaccio 70 (1962)

Direção: Vittorio De Sica, Federico Fellini

Elenco: Anita Ekberg, Sophia Loren, Romy Schneider

O filme é dividido em quatro episódios inspirados em histórias de Decameron. São dirigidos pelos maiores nomes da história do cinema italiano. Mario Monicelli (episódio Renzo e Luciana), Federico Fellini (episódio As Tentações do Dr. Antonio), Luchino Visconti (episódio O Trabalho) e Vittorio De Sica (episódio A Rifa).

No primeiro, Renzo e Luciana se casam, mas tem que esconder isso de seu empregador. Já no segundo um outdoor com Anita Ekberg  vendendo leite provoca uma cruzada pela decência. No terceiro, a esposa de um conde, cujas escapadas são conhecidas da imprensa, decide trabalhar. Mas o que será que ela pode fazer? O último mostra uma jovem que administra uma barraca de circo que se oferece como prêmio para uma noite. O objetivo dela é pagar os impostos que está devendo.

Ninotchka – 1939

Direção: Ernst Lubitsch

Elenco: Greta Garbo, Melvyn Douglas, Ina Claire

Nina “Ninotchka” Ivanovna é uma diplomata russa pragmática. Ela é  enviada a Paris em uma missão de negócios oficial. Lá,  se apaixona pelo guardião das joias de uma grã-duquesa, o conde Leon. O problema é que ele é um homem que representa tudo que ela deveria odiar.

Ernest Lubitsch era um dos maiores nomes da comédia do cinema americano. E Garbo, apesar de atriz reconhecida, quase não aceitou o filme. A razão era que ela não se via fazendo comédia. Garbo foi indicada ao Oscar e ganhou o prêmio do National Board of Review. O filme é uma delícia e um dos grandes clássicos da carreira da estrela.

17 de junho

Yojimbo, o guarda-costas (Yojimbo) – 1961

Direção: Akira Kurosawa

Elenco: Toshiro Mifune, Eijirô Tôno, Tatsuya Nakadai

Um ronin astuto chega a uma cidade dividida por duas gangues de criminosos. Decide então jogá-las uma contra a outra para libertar a cidade. Um dos grandes clássicos do cinema japonês. O diretor Kurosawa assumiu ter se inspirado em faroestes americanos como Matar ou Morrer e o film noir A Chave de Vidro.

Festim Diabólico (Rope) – 1948

Direção: Alfred Hitchcock

Elenco:  John Dall, James Stewart, Farley Granger

A excitação de cometer o crime perfeito leva dois homens a matar . Em seguida, organizam uma festa no local do crime. Entre os convidados estão  o pai e a noiva da vítima. Além de um professor de filosofia que os inspirou inadvertidamente.

O filme ficou famoso porque Hitchcock o filmou em apenas 10 takes, o máximo possível na época. Também foi o primeiro colorido do diretor. Tornou-se um de seus maiores clássicos. Provocou  também muita controvérsia quando foi lançado. Vários cinemas se recusaram a exibi-lo. O motivo: insinuava que os personagens teriam uma relação homossexual.

24 de junho

Os amores de um demônio (The Devil in Love) – 1966

Direção: Ettore Scola

Elenco: Vittorio Gassman, Claudine Auger, Mickey Rooney

A história se passa no século 15. Um demônio importante vem à terra. Seu objetivo é impedir o casamento de um aristocrata papal e uma filha de Lorenzo, o Magnífico. O grande destaque é o uso das cores na fotografia de Aldo Tonti. E também, Vittorio Gassman no auge da beleza!

A dama oculta (The lady vanishes) – 1938

Direção: Alfred Hitchcock

Elenco: Margaret Lockwood, Michael Redgrave, Paul Lukas

Durante uma viagem pela Europa, uma jovem percebe que uma senhora idosa parece ter desaparecido do trem.  E resolve começar uma investigação. O diretor François Truffaut, que era um especialista da obra de Hitchcock, considerava este o seu melhor filme.  Hitchcock faz sua aparição costumeira quase no final, na Victoria Station.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *