fbpx

A sensibilidade da história de amor de Fale com as Abelhas

O filme é de 2018, mas só agora chegou por aqui. E, aliás, estreou ontem nas plataformas digitais numa boa data. Para quem não sabe, 25 de março é a data oficial do orgulho LGBTQIA+ no Brasil. Fale com as Abelhas não foge de temas complexos: racismo, homofobia, aborto, violência doméstica e agressão sexual. Mas tudo a serviço de uma história contada de uma maneira sensível e delicada, que o transformam num belo filme.

A história

Em uma vila escocesa em 1952, Lydia (Holliday Grainger, a Lucrecia de Os Bórgias) trabalha em uma fábrica.Só que seu salário é insuficiente para cobrir a sobrevivência dela e de Charlie (Gregor Selkirk), seu filho de dez anos. Robert (Emun Elliott), seu marido, voltou diferente da guerra e aos poucos abandonou a família. O despejo e o súbito desemprego levam mãe e filho à nova amiga de Charlie, a doutora Jean Markham (Anna Paquin).

A médica acaba de voltar para a cidade após anos trabalhando em diversas cidades. Ela também é mal vista na cidade devido a um fato do passado. Mas conquistou o carinho de Charlie por meio das colmeias que tem em seu quintal. Ela contrata Lydia como governanta e Charlie passa a morar perto das abelhas, ajudando a cuidar delas e contando seus segredos para elas. Essas duas mulheres desprezadas pela sociedade se apaixonam. Mas são hostilizadas por todos pelo romance, podendo perder tudo.

A crítica

É uma bela produção com um ângulo feminino muito bem delineado. Não é à toa que é dirigido (Annabel Jankel), e roteirizado (Henrietta e Jessica Ashworth). Tudo baseado no livro de Fiona Shaw, e ainda estrelado por Anna Paquin e Holliday Grainger. As duas estão ótimas, mas Holliday sai ganhando com um personagem mais fascinante.  Só que o ponto de vista da história é a do menino Charlie, que descobre a duras penas o preconceito e os segredos que erá que enfrentar. Mas, sinceramente, houve momentos em que senti falta de mais um pouco da história das duas. A aproximação e o desejo de ambas resulta em cenas extremamente sensuais.

Além de apresentar temas que são sérios e relevantes até hoje, o filme tem um lado de fantasia, que envolve as abelhas do título. E por isso também Fale com as Abelhas conquista com sua doçura e inocência. Num  primeiro momento até lembra Carol, com Cate Blanchett,  mas mais sensível. Um aviso para quem leu o livro: o final é diferente, tá?

Onde ver Fale com as Abelhas

Desde ontem (25), Fale com as Abelhas está disponível para locação nas plataformas: NOW, SKY Play, Vivo Play e Looke. Na Apple TV somente para compra. A  partir de 08 de abril  poderá ser encontrado para locação na Apple TV e no Google Play.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *