fbpx

O que aprendemos com Grey´s Anatomy, Outlander e Wayward Pines

O mundo está muito diferente do que era há 10 anos atrás. E a forma de assistir séries de TV mais ainda. Na semana passada, três bons exemplos de formas diferentes de encarar o momento do público que consome séries ficaram bem claras ( e eu nem falei de Netflix…)

– A série Outlander é um grande sucesso nos Estados Unidos. Exibida pelo canal Starz, é baseada em um romance chamado A Viajante do Tempo, já lançado aqui no Brasil. Sua primeira temporada foi lançada em duas partes por lá. A primeira começou no início de agosto e a segunda, agora no início de abril. Uma segunda temporada já foi aprovada. Por aqui, os canais de TV paga não tiveram interesse, pelo menos por enquanto, de exibir a série, mesmo com o reconhecimento do público, que consome os livros. Recentemente, a ClaroVídeo disponibilizou a primeira parte mediante assinatura. Mas a maioria dos fãs dos livros já havia arrumado sites não oficiais que disponibilizavam todos os episódios a qualquer hora e a maioria deles já com legendas.

Grey´s Anatomy teve um episódio muito importante exibido esta semana nos Estados Unidos, em que um de seus personagens principais morreu. Aqui no Brasil ainda vai demorar algumas semanas para o episódio ser exibido no canal Sony. Entretanto, Derek, Shonda, Greys eram todos trending topics no Twitter em São Paulo na noite de quinta-feira, quando ele foi exibido nos Estados Unidos. Um recado claro que cada vez mais a pirataria continua a crescer devido a esse espaço de semanas, às vezes meses, entre a exibição nos Estados Unidos e no Brasil.

– No dia 14 de maio, o canal Fox vai exibir nos Estados Unidos a estreia da série Wayward Pines. Na mesma noite, o mesmo episódio vai passar aqui no Brasil (às 22h30)  e em mais de 120 países. Ela tem dez episódios e foi baseada no best seller de Blake Crouch. M. Night Shyamalan, diretor de O Sexto Sentido, é um dos produtores executivos. A programação no mesmo dia por si só já seria um fato para comemorar. Mas há mais, numa estratégia que eu julgo brilhante, o episódio de estreia está disponível até amanhã, dia 30 de abril, com antecedência na plataforma FOX Play.

O serviço está disponível para os assinantes das operadoras Vivo TV, Claro, GVT e Sky sem custo adicional. Uma mistura de Arquivo X com Twin Peaks e Under the Dome (mas mais perturbadora), a interessante história começa com Matt Dillon, de volta depois de um tempo sem grandes sucessos, como um agente do serviço secreto que está em uma missão para encontrar dois agentes federais desaparecidos na cidade bucólica de Wayward Pines. No elenco estão ainda Melissa Leo, Terrence Howard, Carla Gugino e Juliette Lewis, entre outros.

Para combater a pirataria é preciso que cada vez mais ações como essa se repitam. Assim como a HBO faz com seus conteúdos próprios, como Game of Thrones, por exemplo, e a própria Fox fez com o último episódio de The Walking Dead, exibidos no mesmo dia que foram lançados nos Estados Unidos. O público busca o conteúdo. Seria bom que TV paga aprendesse com o exemplo do que é feito pelo cinema hoje em dia, onde os grandes filmes são lançados nas mesmas datas nos principais territórios (e muitas vezes até antes, como é o caso de Vingadores: Era de Ultron, por exemplo). Há anos atrás, isso seria impensável, mas o cinema mudou porque ouviu a voz do consumidor. Deixou de lado o “mas sempre foi feito assim”. Será que outras mídias também não poderiam fazer o mesmo?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *