fbpx

Toda a controvérsia sobre o filme do Coringa

Ontem (28), aconteceu a pré-estreia do filme Coringa em Hollywood. Só que o estúdio acabou determinando que somente fotógrafos poderiam ter acesso ao tapete vermelho. Não seriam feitas aquelas entrevistas que a gente normalmente vê, pois os jornalistas foram desconvidados do evento. A razão disso é que no início dessa semana, as famílias das vítimas de um tiroteio num cinema que aconteceu em 2012 enviaram uma carta ao estúdio expressando sua preocupação sobre o filme. E ainda pedindo que eles usassem sua influência para ajudar a fazer uma sociedade mais  segura. Com isso, a Warner preferiu evitar momentos de “saia justa” no dia da festa, recebendo com isso várias reclamações por parte da imprensa.

Joaquin e o diretor Todd Phillips

Minha opinião

Cada vez que a gente dá opinião sobre algo, a probabilidade de desagradar 50 % dos que leem é grande. Mas, vamos lá!  Posso dizer que conheço os dois lados da história. Já fui executiva de estúdio, responsável pela área de relações com a imprensa, e  agora  estou do lado de cá, como jornalista. Creio que atitude do estúdio foi correta. Isso porque  aquele momento  de tapete vermelho não é para esse tipo de discussão. É um momento de glamour, de amenidades, que faz parte da experiência cinematográfica. Para discutir conteúdo, para ir a fundo em conceitos do filme, mensagem, possível excesso de violência, há outros momentos, entrevistas em outros locais.

Joaquin e a noiva Rooney Mara na noite de ontem (28)

Coringa que estreia no próximo dia 3, foi o vencedor do Festival de Veneza, e vem sendo reconhecido pela crítica como excelente. Eu o assisti na sexta (27). Sim , a violência incomoda, o personagem, criado de maneira soberba por Joaquin Phoenix, é um doente mental, que acaba descambando para a violência. E com isso acaba incitando outros a o acompanharem, sendo também violentos. Ok, isso já estava presente em qualquer outra história de Coringa que você já tenha visto. É claro que há muita gente doida no mundo que pode usar qualquer desculpa para fazer coisas erradas, e além disso, provocar tragédias.

Vou postar aqui a crítica do filme na próxima segunda-feira (30). Mas já aviso que o filme é denso, violento, incômodo –  e bem bom!. Não tem nada a ver com filmes de super-heróis (e vilões) que temos visto em tempos recentes vindos da Marvel e da DC.  Provavelmente por aqui deverá ter censura para maiores de 18 anos. Nos Estados Unidos recebeu  o Rated R, o que significa que apenas maiores de 17 anos poderão assistir por lá. Mas tudo bem, já que esse definitivamente não é um filme para crianças. Agora é esperar para ver os próximos capítulos dessa controvérsia toda sobre os filme.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *