fbpx

Com ação e violência, Mortal Kombat cumpre o o que promete!

Eu já começo dizendo que não entendo nada de games. Rsrs. Não jogo, e conheço somente os nomes. Por isso, fui assistir o novo filme de Mortal Kombat, que estreia nessa quinta nos cinema, sem grandes informações. É claro que devo ter perdido um monte de referências. Era óbvio em algumas cenas aquela “paradinha” para esperar os fãs gritarem muito, rs. Então, esse texto, na verdade, é só uma análise cinematográfica, sem o lado gamer.

Primeiro a história. Tudo começa por volta dos anos 1600, com uma bela sequência. A família de um grande guerreiro é dizimada, e isso terá uma grande importância numa guerra séculos depois.  Nos dias atuais, o lutador de MMA, Cole Young,  está acostumado a apanhar por dinheiro. Só que ele não faz ideia da herança que carrega. E muito menos por que o Imperador da Exoterra, Shang Tsung, enviou seu melhor guerreiro, Sub-Zero, um criomancer de outro mundo, para acabar com ele. Temendo pela segurança de sua família, Cole sai em busca de Sonya Blade por recomendação de Jax. Este é um major das Forças Especiais que tem a mesma estranha marca de nascença na forma de dragão de Cole. É quando este acaba no templo do Lorde Raiden, um Deus Ancião e protetor do reino da Terra, que acolhe aqueles que ostentam a marca.

Lá, Cole treina com os experientes guerreiros Liu Kang, Kung Lao e o mercenário vigarista Kano. Eles devem se preparar para enfrentar inimigos oriundos da Exoterra em uma arriscada batalha pelo universo. Mas será que ele conseguirá desbloquear sua arcana – o imenso poder que existe dentro de sua alma? E tudo a  tempo de não só salvar sua família, mas também de vencer a Exoterra de uma vez por todas?

A crítica

O que você acha? Rsrs. Mesmo para quem não conhece o game, a história é óbvia. O roteiro tem uma boa barriga no meio, durante os treinamentos, que poderia ter sido melhor editada. Mas as cenas de lutas são boas, bem coreografadas. Também é bem violento, como, por exemplo, uma que inclui uma pessoa cerrada ao meio. Ou seja, prepare-se. A direção de arte é competente, o que provavelmente é influência do produtor James Wan.

Já os atores não são muito conhecidos. Mehcad Brooks, de Supergirl, é Jax, e Jessica McNamee (Sirens) é Sonya. Lewis Tan, que faz o papel principal, foi visto em Into the Badlands. A cara mais familiar é a de Hiroyuki Sanada, veterano ator japonês, de The Last Ship, Extant, e Wolverine – Imortal. No final, esse novo Mortal Kombat cumpre aquilo a que se propõe. E deixa bem claro ao final que pretende virar uma franquia!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *