fbpx

Parasita e mais 9 vencedores do Oscar para ver no streaming

 data-srcset

No Oscar desse ano, Parasita fez história ao vencer tanto o Oscar de filme estrangeiro quanto o de melhor filme. Isso porque foi o primeiro filme em língua não-inglesa ganhar o prêmio principal do cinema. Agora, o filme estreia hoje (6) no Telecine, e já está disponível no streaming do Telecine. A crítica está aqui. Vale conhecer! Mas há outros ganhadores do Oscar de melhor filme disponíveis no streaming. Veja só:

Spotlight  – Segredos Revelados – Globoplay

Em 2016, havia dois grandes favoritos ao Oscar de melhor filme: O Regresso e Spotlight. Spotlight acabou levando o melhor filme e também o melhor roteiro. Eu acho o filme poderoso, importante, e brilhante. Baseado em um fato real, mostra um grupo de jornalistas do Boston Globe que investiga o abuso de crianças por padres católicos, acobertados pela Igreja. Eles conseguem reunir documentos que podem provar os crimes cometidos e o envolvimento de líderes religiosos que tentaram ocultar os casos. Mark Ruffalo e Rachel McAdams concorreram ao Oscar de coadjuvante.

O Discurso do Rei – Amazon/ HBO Go

No Oscar de 2011, O Discurso do Rei foi o grande vencedor so ano no Oscar. Além do prêmio de melhor filme, levou os de direção (Tom Hooper), roteiro e ator para Colin Firth. Também é baseado em um fato  real, vivido pelo rei George, pai da rainha Elizabeth, que todo o mundo conhece. O Príncipe Albert da Inglaterra deve ascender ao trono como Rei George VI, mas ele tem um problema de gagueira. Sabendo que o país precisa que seu marido seja capaz de se comunicar perfeitamente,  sua esposa Elizabeth (mãe da atual rainha) contrata Lionel Logue, um ator australiano e fonoaudiólogo, para ajudar o Príncipe a superar a gagueira. Uma extraordinária amizade desenvolve-se entre os dois homens, e Logue usa meios não convencionais para ensinar o monarca a falar com segurança. Geoffrey Rush (Lionel) e Helena Bonham- Carter (Elizabeth) concorreram ao prêmio como coadjuvantes.

Gladiador – Netflix /Amazon

Dirigido por Ridley Scott, o filme levou cinco Oscars. Além de melhor filme, foram premiados Russell Crowe como melhor ator, figurino, som e efeitos visuais. A história se passa nos dias finais do reinado do imperador Marcus Aurelius (Richard Harris). Ele desperta a ira de seu filho Commodus (Joaquin Phoenix, indicado como coadjuvante) ao tornar pública sua predileção em deixar o trono para Maximus (Russell Crowe), o comandante do exército romano. Sedento pelo poder, Commodus mata seu pai, assume a coroa e ordena a morte de Maximus, que consegue fugir antes de ser pego e passa a se esconder sob a identidade de um escravo e gladiador do Império Romano.

12 Anos de Escravidão – Netflix

Em 2013, 12 Anos de Escravidão se tornou o primeiro vencedor de melhor filme a ser produzido, dirigido e roteirizado por profissionais negros na história do Oscar. O filme deu ainda o prêmio de coadjuvante para Lupita Nyong’o.  Conta a história real de Solomon Northup é um  homem negro livre em 1841, que vive em paz ao lado da esposa e filhos. Um dia, após aceitar um trabalho que o leva a outra cidade, ele é sequestrado e acorrentado. Vendido como se fosse um escravo, Solomon precisa superar humilhações físicas e emocionais para sobreviver. Ao longo de doze anos, ele passa por dois senhores, Ford e Edwin Epps, que, cada um à sua maneira, exploram seus serviços. Chiwetel Ejiofor concorreu ao Oscar de melhor ator e Michael Fassbender como coadjuvante.

A Lista de Schindler – Telecine

Além do prêmio de melhor filme, A Lista de Schindler  levou os de roteiro fotografia, direção de arte, montagem, trilha sonora e diretor para Steven Spielberg. Foi o primeiro Oscar de Steven, num projeto que lhe era muito querido, e que demorou 10 anos para sair do papel. O  filme é baseado numa história real.

Na época da II Guerra, o alemão Oskar Schindler (Liam Neeson) viu na mão de obra judia uma solução barata e viável para lucrar com negócios. Com sua forte influência dentro do partido nazista, foi fácil conseguir as autorizações e abrir uma fábrica. O que poderia parecer uma atitude de um homem não muito bondoso, transformou-se em um dos maiores casos de amor à vida da História. Este alemão abdicou de toda sua fortuna para salvar a vida de mais de mil judeus em plena luta contra o extermínio alemão. Liam Neeson e Ralph Fiennes concorreram ao prêmio, respectivamente como melhor ator e como coadjuvante.

O Paciente Inglês  – Amazon

Ralph Fiennes conseguiu outra indicação, dessa vez como ator principal quatro anos depois, com O Paciente Inglês. Mas mais uma vez não levou. O filme entretanto ganhou noe prêmio ao todo. Além de melhor filme, também diretor (Anthony Minghella), fotografia, direção de arte, figurino, som, montagem, trilha sonora e coadjuvante para Juliette Binoche.

No final da Segunda Guerra Mundial, um desconhecido, que teve queimaduras generalizadas quando seu avião foi abatido e ficou conhecido apenas como o paciente inglês, acaba recebendo os cuidados de uma enfermeira canadense. Gradativamente, ele começa a narrar o grande envolvimento que teve com a mulher do seu melhor amigo e como esse amor foi fortemente correspondido. Porém, outros detalhes parecem não vir à sua lembrança, como se ele quisesse que tais fatos continuassem enterrados e esquecidos.

Chicago – Amazon

Bela adaptação do musical da Broadway, o filme ganhou seis Oscars: Filme, direção de arte, figurino, montagem, som e atriz coadjuvante para Catherine Zeta-Jones. Ela é Velma  Kelly, a sensação de um clube noturno, assassina seu marido mulherengo. Então Billy Flynn (Richard Gere), o advogado mais esperto de Chicago, é o escolhido para defendê-la. A novata cantora Roxie Hart (Renee Zelwegger) também acaba na prisão por matar seu namorado, e Billy  pega seu caso, transformando tudo em um circo da mídia. Agora, elas disputam entre si pelo topo do estrelato. Renee concorreu como melhor atriz, enquanto Queen Latifah e John C. Reilly disputavam as categorias de coadjuvantes.

O Artista – Amazon

Antes de Parasita, houve O Artista. Ele foi a primeira produção francesa a ganhar o prêmio de melhor filme, mas como era mudo (sem diálogos), não é ser considerado um filme de língua não-inglesa. Foi um grande desafio fazer um filme preto e branco e mudo, que homenageava Hollywood. A história se passa na década de 1920, quando o ator George Valentin (Jean Dujardin) é uma estrela do cinema mudo. Mas sua carreira está ameaçada pela chegada do cinema sonoro. Enquanto ele luta para manter seus filmes, Peppy Miller (Berenice Bejo), uma coadjuvante, alcança a fama. O Artista ganhou os prêmios de melhor filme, direção (Michel Hazanavicius), figurino e trilha sonora, além de ator para Jean Dujardin. Com isso, ele se tornou o primeiro – e até agora único – atore francês a receber a honraria.

Green Book – O Guia – Amazon / HBO Go

Eu adoro esse filme! Foi o vencedor inesperado do Oscar 2019, levando as estatuetas de filme, roteiro e coadjuvante (Mahershala Ali). Ele é o Dr. Don Shirley é um pianista negro de renome mundial, prestes a embarcar em uma turnê pelo sul dos Estados Unidos, em 1962. Como precisa de um motorista e guarda-costas, Shirley recruta Tony Lip (Viggo Mortensen, indicado como melhor ator), um fanfarrão do Bronx. Apesar de suas diferenças, os dois homens desenvolvem uma ligação inesperada ao enfrentar o racismo e os perigos de uma era de segregação racial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *