fbpx

A nostalgia gostosa do novo filme de Bill & Ted

Tenho que confessar um coisa. Eu nunca tinha visto um filme de Bill & Ted. Nem Bill & Ted: Uma Aventura Fantástica, de 1989, nem Bill & Ted: Dois Loucos no Tempo, de 1991. Os dois filmes foram um enorme sucesso na época. Mas de qualquer maneira, fiquei super curiosa para assistir a sequência, que chegou aos cinemas quase 30 anos depois. Bill & Ted: Encare a Música foi um dos primeiros filmes a estrear depois da reabertura dos cinemas. Na ocasião, não consegui ir na sessão para a imprensa. Só fui ver agora, que ele está disponível nas plataformas digitais, para aluguel / compra.

Já aviso que não achei imprescindível assistir os dois filmes anteriores. Claro, se você conhece os dois, provavelmente vai reconhecer mais piadas, pode até aproveitar mais a história. Mas ele funciona de qualquer maneira. O filme acompanha o tempo. Ted e Bill atingiram a meia idade. Com isso, suas preocupações são as suas famílias e outras responsabilidades da vida adulta. Há anos, eles vem lidando com a frustração de ainda não terem escrito a melhor música de todos os tempos. Mas agora, os dois  recebem a visita de uma pessoa do futuro e descobrem que apenas uma música criada por eles poderá salvar o mundo.

A crítica

Surpreendentemente, o filme é gostoso de ver. Não é de morrer de rir, mas sim de sorrisos. É uma homenagem aos personagens, e também à amizade e à música.  Ainda é também sobre enfrentar o fato que você não fez tudo o que esperava, não conquistou aquilo que sua versão mais jovem esperava. Isso porque eles não escreveram a música que iria unir o universo. Bill & Ted continuam casados com as princesas do primeiro filme, feitas aqui por  Erinn Hayes and Jayma Mays, de Glee. Só que agora os amigos têm duas filhas crescidas, Thea (Samara Weaving) e Billie (Brigette Lundy-Paine). E claro, todo mundo viaja no tempo.

A parte das meninas acaba sendo mais divertida, já que elas tem que buscar uma banda perfeita. Para isso viajam na máquina do tempo, e convencem gente como Jimmy Hendrix e Mozart a fazer parte. O destaque fica com Samara Weaving. Ela é a perfeita filha de Keanu Reeves. Seus trejeitos, maneira de falar, está incrível! A parte de Bill & Ted é um pouco mais cansativa. Isso porque eles ficam viajando para encontrar com seus eus do futuro. Se torna um tanto repetitiva.

Bill & Ted

Alex Winter acaba se saindo melhor do que Keanu como ator. Mas Keanu é uma figura fofa, e também seu carisma de astro fala mais alto. Impossível você não admirá-lo por revisitar esse personagem que lhe deu um de seus primeiros sucessos. Sempre acho que o segredo de um ator é não se levar a sério. E Keanu faz isso com louvor. Rsrsrs. Obviamente é um trabalho feito com amor. A verdade é que em tempos tão horríveis como os que vivemos, é uma lufada de ar fresco ver um filme como Bill & Ted: Encare a Música. Tem homenagem bonita a George Carlin, que fez Rufus nos dois primeiros filmes. Tem momentos divertidos. E ainda tem uma certa inocência no história. Vale desligar dos problemas e assistir essa também Fantástica Aventura.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *