fbpx

Inacreditável é uma série para não perder na Netflix!

 data-srcset

Inacreditável, da Netflix, estava em minha lista de séries para ver há um bom tempo. Mas sempre entrava alguma coisa na frente. Só que depois de todas as indicações do Globo de Ouro –  Série Limitada, Atriz ( Merrit Wever e Kaytlin Dever) e Atriz Coadjuvante (Toni Colette) – não tinha mais como adiar. E que arrependimento de não ter visto antes. Os oito episódios foram vistos em “duas sentadas”. Juntamente com Chernobyl, essa foi a outra série que me deixou admirada e impressionada com a qualidade de texto, direção e elenco.

Ela é baseada em uma história verdadeira, que foi escrita em uma matéria com o título de Uma Inacreditável História de Estupro, escrita T Christian Miller e Ken Armstrong. O primeiro dos oito episódios já começa com a história de uma jovem de 18 anos, Marie, (Kaitlyn Dever) que contou à polícia ter sido estuprada dentro de seu próprio apartamento. Submetida a vários interrogatórios, ela acabou voltando atrás em sua versão, o que lhe causou vários problemas.   Essa história, e ainda os flashes daquela noite, ocupam todo o episódio. Mas no segundo, conhecemos duas detetives, Grace  e Karen (Toni Collette e Merritt Wever), que estão investigando casos similares. A investigação das duas e o destino de Marie vão acabar se cruzando durante a investigação de um estuprador em série.

A série segue  então dois caminhos paralelos. O primeiro, o que acontece com Marie, e tudo pelo que ela tem de passar por causa de sua declaração. No segundo, o público acompanha as investigações das duas detetives com atenção. É claro que , em princípio, Inacreditável é uma série sobre uma investigação policial, sobre como descobrir o culpado. Mas há outro ponto central:  o tratamento que as vítimas de estupro recebem. Como vítimas como Marie, quando não são ouvidas da maneira correta, são prejudicadas de maneira irreversível. É chocante como todos são insensíveis, mesmo sem perceber. E em outro caso, o de Amber (Danielle Macdonald , de Dumplin’), a reação respeitosa da policial Karen não só  lhe inspira confiança, como também ajuda a evoluir com a investigação.

Na série não há cenas chocantes de estupro. Tudo é feito através de flashes muito rápidos. Em compensação, os detalhes da investigação fazem com que você se sinta parte da equipe. Essas mulheres, e as pessoas que trabalham em sua equipe são eficientes, preocupadas com o resultado de seu trabalho, e com as vítimas.

E aí vem o destaque para o trabalho de Merrit Wever, que já esteve em Godless e foi a Agnes de The Walking Dead. Sua voz doce, mas forte,  mostra o quanto o mundo seria perfeito se todas as vítimas tivessem alguém tão dedicada para defendê-las. Toni Colette também está ótima. Sua Grace é desbocada e apaixonada pelo que é certo. A química e a forma como as duas trabalham juntas dá gosto de ver. Mas, além do trabalho da jovem Kaitlyn Dever como Marie, também há outro destaque. A participação de Brooke Smith (lembra dela como a Dra. Erica de Grey’s Anatomy?) é pequena, mas é vital para Marie, e também para o desenvolvimento da história.

Li algumas críticas dizendo que Inacreditável é a série mais feminista que se tem notícia. Discordo. Sim , ela destaca o trabalho dessas mulheres incríveis, que desafiaram tudo e todos para conseguir entregar o seu trabalho. Mas, mais importante que isso, é uma série que fala da importância do respeito com o outro, independente de quem são, ou o que parecem. Em tempos como os de hoje, é uma lição indispensável.

 

 style
 style

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *