fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

Uma viagem no tempo na comédia de Ricardo Darín

Ricardo Darín é uma daquelas unanimidades cinematográficas. Todo mundo gosta dele e da maioria de seus filmes. É o caso de seus grandes clássicos, O Segredo dos seus Olhos, Relatos Selvagens. E também sucessos recentes como Odisséia dos Tontos e Todos Já Sabem. Mas por incrível que pareça, teve um filme do ator bem antigo, de 2002, que nunca havia sido lançado por aqui. Teve uma única exibição em 2003, no no CineSul – Festival de Cinema e Vídeo Latino-Americano, em 2003. Agora, entretanto a comédia Samy e Eu, estrelada por Darín, finalmente estreou no Petra Belas Artes À La Carte, dentro da seção “Super Lançamentos”, por apenas R$ 8,90.

O filme conta a história de Samy, interpretado por Darín. Ele é um roteirista de comédia para a TV que, apesar do relativo sucesso do programa, sente que sua criatividade começa a se esgotar. Será a crise dos 40 anos que se aproximam? Além disso, ele se sente preso a um ambiente excessivamente feminino, cercado por sua namorada, sua mãe, sua irmã, sua melhor amiga e sua produtora. Precisando mudar de ares, ele decide deixar a televisão e retomar uma paixão que ele mantém guardada: a literatura.

Enquanto isso, Mary, papel de Angie Cepeda, decide usar sua beleza física e sensualidade, aproveitando melhor sua “inteligência emocional”, como ela própria diz, para buscar novos horizontes. Um dia, um mal-entendido faz com que Samy e Mary se encontrem, e a partir desse momento nasce uma atração irresistível entre eles. Apaixonada, Mary arma um incrível plano para manter Samy na televisão e torná-lo um homem de grande sucesso. Ela, então, produz um reality show sobre a vida dele! Mas será que isso tudo vai dar certo?

E  o filme é bom?

É óbvio que vários problemas vão acontecer antes que esses dois consigam se entender. Samy parece um alter-ego dos filmes de Woody Allen, com todas as neuroses divertidas. Talvez por isso o filme não seja tão divertido como se poderia esperar, apesar de alguns bons diálogos. E como Darín é um ator monstruoso, você não consegue tirar os olhos dele. Aliás, o resto do elenco também está muito bem. A qualidade da imagem e do figurino também mostra bem a idade do filme, rs. De qualquer maneira, vale o programa para fazer uma viagem pelo túnel do tempo.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de ler

Cinema

Há alguns diretores que tem um estilo todo o pessoal. Ou seja, mesmo sem ver os créditos, você sabe que um filme foi dirigido...

Cinema

Hoje (17), estreou no Belas Artes a La Carte, um dos filmes mais pessoais e diferenciados da carreira de Alfred Hitchcock. É Festim Diabólico,...

Cinema

Os fãs de clássicos tem sempre dificuldades de achar os filmes no streaming. De vez em quando se “pesca” um aqui, outro ali. Mas,...

Cinema

Outro dia, conversando com uma amiga, ela me pediu dicas de filmes leves, românticos, para rir. Ela especificamente disse “filme de beijo na boca”,...

Cinema

Há algum tempo, assisti o filme biográfico da cantora Dalida na TV. A produção de 2016 era bem feita einteressante. E me fez conhecer...

Streaming

Eu me lembro a primeira vez que vi Lambert Wilson. Faz muito tempo, no filme Sahara, uma bomba dos anos 80 com Brooke Shields....

Cinema

Tenho em mente que o passado existe e não é possível apagar. Sou veementemente contra essa cultura de cancelamento de filmes que temos visto...

Cinema

Gosta de filmes franceses? O Belas Artes a La Carte  vai disponibilizar 29 filmes do país  entre  15 de janeiro a 15 de fevereiro...