fbpx

Socorro, virei uma garota diverte até certo ponto.

A situação de uma pessoa assumindo o corpo de outra no cinema já rendeu várias comédias boas. Duas me vêm à cabeça: Quero ser Grande, que chegou a dar a primeira indicação ao Oscar para Tom Hanks, e Sexta-Feira muito Louca, quando Lindsay Lohan ainda era ótima. E há vários outros, 17 Outra Vez, Vice-Versa, Tal Pai, Tal Filho, Coisas de Meninos e Meninas. Isso sem falar, é claro, no fofo Ela é o Cara, com Amanda Bynes e Channing Tatum. E agora, o cinema brasileiro resolveu investir nesse caminho com Socorro, virei uma garota, que estreia essa semana nos cinemas.

A história

Júlio (Victor Lamoglia) é um garoto tímido, praticamente invisível aos olhos de seus colegas de colégio. Um dia, ao ver uma estrela cadente, ele faz um pedido: deseja ser a pessoa mais popular da escola. É quando ele se transforma em uma garota, Júlia (Thati Lopes), que é extremamente popular nessa realidade alternativa. Sem saber como lidar com o corpo feminino que acabou de ganhar, ele precisa ainda lidar com a proximidade de Melina (Manu Gavassi). Ela é a garota por quem Julio é perdidamente apaixonado, e que é a melhor amiga de Julia. O único em quem ela/ele pode confiar para resolver essa confusão é seu amigo atrapalhado Cabeça (Leo Bahia).

A crítica

O filme começa bem. É até divertido nas piadas enquanto Julio descobre as vantagens e desvantagens de ser mulher. Em especial nos diálogos com o amigo Cabeça, a coisa funciona bem. E aqui fica um destaque. Ao contrário da maioria dos filmes nacionais, onde todo mundo fala parecendo frase decorada, aqui os diálogos são bem naturais. Além disso, a produção é bem cuidada, com cenografia e figurinos bem interessantes.

Dito isso, vem o problema. A partir de um determinado momento, a coisa cai para o drama, com a aparição da mãe. Totalmente desnecessário. Com 1h50m, o filme ficaria bem mais redondinho sem esses 15 minutos a mais. Além disso, a atriz Thati Lopes , da Porta dos Fundos, começa bem, mas depois fica um tanto cansativa. Parece muito um clone de Tatá Werneck. O melhor de todos  no elenco é mesmo Leo Bahia, como o amigo Cabeça. De qualquer maneira,  Socorro, virei uma garota é uma opção divertida para adolescentes. Pode ser que eles embarquem na história. Especialmente se meninos e meninas forem assistir juntos.

Ah, uma curiosidade! Thati Lopes (Julia) namora na vida real Victor Lamoglia, o Julio.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *