fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

O romance fofo de Tudo e Todas as Coisas

Eu simplesmente adoro um bom romance adolescente. Acho que as emoções são sempre tão especiais e tão verdadeiras que embarco sempre sem reservas. Mas, é claro, sei reconhecer filmes bons e diferenciá-lo dos fracos. Tudo e Todas as Coisas, baseado no best-seller de Nicola Yoon, está entre os bons. Cheguei no cinema achando que veria mais um clone de Escrito nas Estrelas, e descobri que não poderia estar mais errada. O filme, que estreou nos cinemas esta semana, tem o seu próprio drama, e também um final bonito e satisfatório.

Resultado de imagem para everything everything

Maddy é uma jovem de 18 anos que não pode tocar absolutamente coisa alguma no mundo. Ela também não pode respirar ar fresco, sentir o sol quente em seu rosto e especialmente não pode beijar seu vizinho gatinho. Tudo e Todas as Coisas mostra essa improvável história de amor de Maddy, uma garota inteligente, curiosa e cheia de imaginação, vítima de uma doença raríssima que a impede de abandonar a proteção do ambiente hermeticamente fechado no qual vive dentro de sua casa, e Olly, o vizinho da casa ao lado que não está disposto a deixar que a condição de Maddy os afaste um do outro. Logo os olhares trocados apenas pelo vidro das janelas e as conversas por mensagens de texto criam um profundo laço entre Maddy e Olly, o que os leva a arriscar tudo para ficarem juntos.

Adorei a bela história de amor, e também os personagens. Fortes, decididos, apaixonados. O filme tem a delicadeza de ser uma história de amor que em momento algum menciona o fato dos dois serem de raças diferentes, algo tão difícil de encontrar no cinema americano. São simplesmente dois apaixonados, independente de raça, idade, religião. Isso torna ainda a história mais bonita. Maddy, feita por Amandla Stenberg (Sleepy Hollow, Jogos Vorazes) é forte e decidida, mesmo com as impossibilidades de sua condição. Nick Robinson (Jurassic World), que faz Olly, é lindo, fofo e apaixonante. O único ponto que me incomodou foi realmente, por incrível que pareça, a peruca da mãe de Maddy. Feita por uma atriz conhecida e premiada, Anika Noni Rose, vista recentemente como a agente Liz Babbitt em Bates Motel, ela parece não conseguir nem se mexer direito com medo de soltar o cabelo tão claramente falso. Uma pena!

Resultado de imagem para everything everything anika noni rose

Com uma linguagem moderna, uma bela cenografia e atores fofos, é um daqueles filmes para meninas românticas. Afinal, mesmo que o tempo passe, você nunca deixa de ser uma delas!

Resultado de imagem para everything everything

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de ler

Cinema

Os dois filmes de Caça-Fantasmas, produzidos nos anos 80, são divertidos e deliciosos companheiros de tardes de toda uma geração. Atualmente estão disponíveis no...

Cinema

Guillermo Del Toro adora um terror. Está sempre envolvido em filmes e séries do gênero, seja como diretor ou como produtor.  Espíritos Obscuros, que...

Cinema

O feriado de Nossa Senhora de Aparecida me parece um bom dia para escrever a crítica do filme de Nossa Senhora de Fátima. Fátima:...

Cinema

O cinema de terror vem tendo cada vez mais visibilidade, mesmo em festivais e premiações. Em 2019, A Chorona, filme do gênero da Guatemala, ...

Séries

Talvez você se lembre do filme Com Amor, Simon. É um romance fofinho sobre um garoto que se apaixona por email. Enquanto isso, ele...

Cinema

M Night Shyamalan está entre meus diretores preferidos. Afinal, ele é o cara que fez O Sexto Sentido, Sinais, Corpo Fechado, A Vila, Fragmentado....

Cinema

No ano passado, eu assisti O Charlatão durante a Mostra de Cinema de São Paulo. Publiquei a crítica no Blog. Mas logo depois, hackers...

Cinema

Ninguém pode dizer que eu não tentei, rsrs. Quando é possível, eu tento assistir o maior número de filmes possível, independente de sua nacionalidade....