fbpx

O que há de tão errado em Calmaria?

Você tem um filme estrelado por Matthew McConaughey e Anne Hathaway, numa trama à beira-mar que inclui mistério e assassinato. Vai ficar interessado, certo? Com certeza! Mas… Eu já tinha lido matérias em publicações americanas do ano passado , onde esse filme, Calmaria, era apontado como um bom candidato a ser um fracasso. E, quando vi os números das bilheterias americanas (totalizou 8 milhões de dólares), fiquei mais curiosa para saber o que poderia ter dado tão errado. Ele estreia essa semana nos cinemas.

A história

A gente começa o filme acompanhando a história de Baker Dill (Matthew McConaughey), o capitão de um navio pesqueiro. Ele vive num lugar paradisíaco chamado Plymouth Island. É também obcecado em pegar um peixe que ele chama de Justice. Fora isso, leva um vida tranquila, com ocasionais visitas a uma mulher chamada Constance (Diane Lane, em papel que era de Um Thurman) em busca de conforto e algum dinheiro. Mas tudo isso é ameaçado quando sua ex-mulher, Karen (Anne Hathaway), chega no lugar com um pedido de ajuda. Ela quer que Dill a salve – e também o filho dos dois – de seu novo e violento marido (Jason Clarke). A ideia é levá-lo para uma excursão de pesca e o deixá-lo lá para os tubarões. Dill fica então em dúvida entre o certo e o errado, enquanto ele passa a não saber mais o que é real ou não.

E o problema?

A trama é totalmente confusa. O diretor e roteirista Steven Knight (que já fez o bom e diferente Locke), aqui se perde totalmente. Ele tenta fazer um film noir, cheio de personagens lindos e misteriosos, flerta com o totalmente estranho (Reid Miller), e descamba para um final… Bem é melhor não falar muito – #semspoilers. O que se pode dizer é que Steven Knight deve ter adorado Interestelar. E não é só por causa de seu elenco, como também por suas reviravoltas. Eu, que também não sou grande fã daquele filme, fiquei ainda mais sem paciência com este aqui.

Li várias explicações sobre o final do filme. Nenhuma delas me convenceu. E como eu sempre digo, se tem que explicar muito, é um problema. De qualquer maneira, é um filme bonito de se ver, com a região das Maldivas belamente fotografada. Gostei dos figurinos de Anne Hathaway, mas não muito de sua performance de femme fatale. E ainda tem o desperdício de Diane Lane num papel que é pouco mais que uma ponta. E fica a dica para Matthew McConaughey. Você precisa urgentemente de um papel num filme de sucesso. Está parecendo que está sofrendo a Maldição do Oscar.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *