fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

O dia a dia estressante de Depois a Louca sou Eu

O título é ótimo. Depois a Louca sou Eu é  o título de um livro de Tati Bernardi, de grande sucesso no Brasil. Eu nunca li, mas sei que é bem popular. Em 2019 começaram as filmagens de sua versão para o cinema, com direção de Julia Rezende, e produção de Mariza Leão. Estrelado por Débora Falabella, estava programado para estrear em março de 2020. Mas aí veio a pandemia, e o filme só agora chega aos cinemas.

Ele conta a história de Dani, personagem de Debora. Ela tenta se curar de crises de ansiedade desde a infância. O roteiro acompanha o que acontece dentro de sua cabeça fervilhante de pensamentos. E como estes acabam atropelando seu dia a dia. Também mostra sua relação bem conturbada, mas cheia de amor, com a mãe superprotetora (Yara de Novaes). E sua descida aos infernos ao recorrer a todos os tipos de terapias e medicamentos para que possa ter uma vida dita normal.

A própria Julia Rezende descreveu Dani na época em que começou as filmagens de Depois a Louca sou Eu.  “O filme é a história de uma mulher enfrentando seus medos: o medo da morte, das perdas, do fracasso. E sobretudo o medo da vida. Ela quer ser uma escritora de sucesso. Mas antes sonha apenas em conseguir sair de casa, trabalhar, namorar, viajar. É o retrato sensível, contemporâneo e bem humorado das ansiedades que tomaram conta de todos nós

A crítica

O objetivo inicial era fazer uma comédia dramática. Julia até tenta dar uma certa leveza na história. Isso fica claro pelo colorido da fotografia. E especialmente pela forma de contar, inserindo efeitos fofinhos como balões para mostrar as mensagens de texto.  Também usa o artifício de mostrar a situação como a personagem gostaria que tivesse sido, para depois apresentar a realidade. Ela é uma boa diretora, mas confesso que tive problemas em embarcar na história.

Tenho uma certa resistência com filmes que tentam fazer rir com situações de doença. Especialmente aqueles que fazem rir da pessoa, e não com ela. É o caso, por exemplo de Loucas para Casar, com Tatá Werneck, ou ainda De Perto ela não é Normal, com Suzana Pires. Realmente, esse tipo de coisa não me faz rir. Depois  a Louca sou Eu não pretende ser uma comédia escrachada como as outras. Mas, mesmo assim, tem seus momentos para que a gente ria das situações de Dani. Só que não consegue.

Isso não é uma crítica de maneira alguma ao trabalho de Débora Falabella. Ela está ótima, se entregando totalmente ao personagem, inclusive com cenas de nudez. O resto do elenco também está ótimo, com destaque para Gustavo Vaz (Gilberto). A química entre ele e Débora é incrível (tanto que eles namoraram por algum tempo). O filme tem  também várias participações especiais legais de gente como Rômulo Neto e Evandro Mesquita. Mas, o desespero e a luta de Dani para ter uma vida melhor são cansativos e estressantes. Para mim, pelo menos, não funcionou.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias

Séries

Outlander é uma daquelas séries que tem seguidores fanáticos. Há nove livros da saga disponíveis (li seis deles). E a série já foi aprovada...

Streaming

Muita gente deve lembrar do caso do time de futebol de meninos que ficou preso em uma caverna na Tailândia, que logo se encheu...

Streaming

Essa semana o American Film Institute anunciou que vai conferir a Michelle Yeoh o título de Doutor Honoris Causa das Artes. Tudo isso por...

Gossip

Anne Heche, mais conhecida por filmes como Volcano e Seis Dias, Sete Noites (ambos do Star Plus), sofreu um grave acidente em Los Angeles....

Streaming

Essa semana, várias notícias sobre a Warner – com o cancelamento do filme da Batgirl – e o fim da HBO Max pipocaram nas...

Você também pode gostar de ler

Cinema

Eu não vejo boa parte dos filmes nacionais que estreiam no cinema e no streaming. Afinal, o Blog  é de Hollywood! Mas, ocasionalmente, vejo...

Cinema

Talvez os mais jovens não saibam, mas nos anos 50, Celly Campello e seu irmão Tony, foram alguns dos primeiros talentos a popularizar o...

Streaming

Vários filmes com atores isolados foram feitos durante a pandemia.  Malcom e Marie, com Zendaya (disponível na Netflix) foi um deles, entre tantos. E...

Cinema

Morbius era para ter chegado nos cinemas em 2020. Mas, como vários outros casos, a pandemia acabou adiando, e adiando, e adiando. O filme,...

Cinema

Já faz algum tempo que não tenho mais muita paciência com filmes e séries sobre cartel de drogas. Gente feia, sem princípios. Tento evitar...

Cinema

Provavelmente devido ao sucesso de séries policiais, o cinema brasileiro começou a dar mais importância ao gênero. E a misturar comédia  na história. Lembro...

Cinema

Outro dia, conversando com um gamer, perguntei se ele tinha vontade de ver o filme Uncharted: Fora do Mapa. O filme é baseado num...

Cinema

Todos os anos a Temporada de Premiações escolhe suas “modinhas”. Alguns filmes que eu confesso que não entendo o que estão fazendo ali. Com...