fbpx

O cansaço de saber que De Perto Ela não é Normal

Logo no início, De Perto Ela não é Normal faz lembrar o grande sucesso de Monica Martelli de 2014, Os Homens são de Marte…É pra lá que eu Vou. É sobre uma mulher que reconstrói sua vida após o fim de seu casamento. Também tem  como base uma peça de sucesso, esta de autoria de Suzana Pires. A atriz e roteirista vinha desenvolvendo o filme há muito tempo. Ele está em cartaz nos cinemas, e no próximo dia 5 vai chegar na plataforma de streaming do Telecine e no Telecine Premium. Infelizmente, ao contrário do filme de Monica Martelli, as risadas  em De perto Ela não é Normal foram bem escassas.

Na história, ficamos sabendo que, aos 40 e poucos anos, Suzie (Suzana Pires) tem exatamente a vida tradicional que sua mãe sonhou para ela. É casada com seu amor de infância, Pedrinho (Marcelo Serrado), com quem teve duas filhas. Só que ele é um preguiçoso e sem opinião própria, manipulado pela mãe, a rabugenta Dora (Cristina Pereira). Suzie se sente muito infeliz no casamento, mas um acontecimento é que vai fazê-la mudar de vida. Quando ela reencontra sua Tia Suely (também Suzana Pires), uma mulher livre e decidida, Suzie encontra forças para buscar maneiras de “chegar lá”.

A crítica

Nunca assisti a peça. Eu imagino que ela devia ser engraçada. Do contrário não teria feito tanto sucesso. Já  o resultado no cinema é chatíssimo, pouco engraçado, e totalmente exagerado. Suzana, que pretende demostrar que é versátil, faz os papéis da tia Suely, da mãe de Suzie e da própria personagem principal. Mas, não funciona. Suzie é uma mulher patética, e Suzana faz caras e bocas que dão uma certa “vergonha alheia”. É interessante perceber que os únicos momentos em que dei risada ao ver o filme, foi com Angélica. Quem diria? Como a melhor amiga de Suzie, ela está muito divertida. De longe é a melhor do elenco.

E com certeza, Suzana tem bons amigos. Além de Angélica, o filme tem várias participações especiais. Algumas realmente surpreendentes. Pena que realmente não funcionem. Ivete Sangalo, que é sempre ótima, não consegue fazer rir como a professora. O filme tem também Gaby Amarantos como a chefe da empresa de advocacia (não dá certo!). E ainda Heloísa Perissée, Maria Clara Gueiros, Samantha Schmutz, Fabiana Karla. Entre os homens, Ricardo Pereira, Henri Castelli e Marcos Caruso (chamado de McDreamy, oi???). Pelo menos, tem um momento emocionante, com Orlando Drumond, aos 101 anos. Com tudo isso, De perto ela não é normal espera fazer um considerável sucesso no cinema. Acho pouco provável que ela consiga “chegar lá”!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *