fbpx

O belo O Tempo e o Vento chega aos cinemas.

O tempo e o vento
Thiago Lacerda e Marjorie Estiano em O Tempo e o Vento

 Nunca cheguei a ler o livro O Tempo e o Vento, de Erico Verissimo. Sim, é uma falha no currículo. Mas me lembro vagamente da minissérie dos anos 80, onde Tarcísio Meira fez um inesquecível Capitão Rodrigo  e Lelia Abramo brilhou como Bibiana. Foi o suficiente para me interessar para assistir a versão que chega agora aos cinemas, dirigida por Jayme Monjardim.

Gosto do trabalho de Jayme como diretor. É um especialista em trabalhar com belas imagens desde o início de sua carreira com O Direito de Amar e Pantanal. Sua experiência com uma bela história ambientada  no Rio Grande do Sul em A Casa das 7 Mulheres, já indicava que poderia desenvolver um bom trabalho com O Tempo e o Vento. E o fez.

 

A história é contada através das lembranças de Bibiana (Fernanda Montenegro) enquanto sua casa está cercada pelos homens da família Amaral . Começa contando sobre como sua avó, Ana Terra (Cleo Pires, num papel que já foi de sua mãe, Gloria Pires), conheceu o índio Pedro Missioneiro ( o ator espanhol Martin Rodriguez) , iniciando a história da família. Depois da morte de Pedro e seus pais, Ana se muda para Santa Fé para criar seu filho sozinha.  Logo Bibiana se lembra também de que quando era jovem (Marjorie Estiano), ela conheceu o apaixonante Capitão Rodrigo Cambará (Thiago Lacerda). Os dois se casam, mas a felicidade não dura muito tempo. Durante toda a narração, a Bibiana mais velha conversa e troca ideias com um Rodrigo ainda jovem e bonito até o momento de conclusão da história.

 

Toda essa ação é entremeada por belas paisagens com uma linda fotografia de Affonso Beato, perfeita para assistir na tela do cinema. No elenco, o destaque claro é Thiago Lacerda. Bonito e bom ator, ele ilumina a tela quando aparece. O ponto fraco no final acaba sendo Fernanda Montenegro, que sempre faz o mesmo papel no cinema e na TV. Seja como Bibiana ou como a Candinha de Saramandaia, ela é igual. Pronto, falei!

 

É claro que em breve teremos uma versão completa em formato de minissérie na TV Globo. Tudo indica esse caminho. Mas, por enquanto, vale uma visita ao cinema.

 

Eliane Munhoz

 

Existem 1 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *