fbpx

O alerta de Inocência Roubada

O cinema já abordou diversas histórias sobre violência sexual contra crianças. Muita gente prefere nem ver. Outras acham importante conhecê-las como um alerta. É o meu caso. São histórias poderosas, muito bem filmadas, indicadas ou vencedoras de prêmios. Estreou essa semana nos cinemas  o filme francês Inocência Roubada, que também trata da história.

O filme foi selecionado para a mostra Un Certain Regard do Festival de Cannes, além do Festival de Deauville e de Hamburgo. Venceu também dois César, melhor adaptação e atriz coadjuvante (a sempre ótima Karin Viard). Inocência Roubada é baseado em uma história real vivida pela própria atriz, bailarina e diretora Andréa Bescond. A produção é uma adaptação de um espetáculo de dança, que foi uma das formas encontradas por ela para se libertar dos traumas sofridos na infância. Assim acompanhamos a história de Odette, uma menina de 8 anos que adora dançar e desenhar. Por que ela deveria desconfiar de um amigo de seus pais que se oferece para “fazer cócegas” nela? Anos depois, já adulta, Odette percebe que foi abusada e mergulha de corpo e alma em sua carreira como dançarina ao tentar lidar com seu passado.

A história é poderosa, e especialmente a relação da menina, e depois da mulher, com seus pais. Entretanto, o filme poderia ter rendido mais se a diretora não cortasse a narrativa para inserir momentos de dança, com o objetivo de demonstrar seus sentimentos. Poderia ter sido bem melhor.

Além de Inocência Roubada, fica aqui a dica de outros três bons filmes com esse tema, que valem uma olhada.

Spotlight – Segredos Revelados

O filme, disponível na Claro Vídeo,  venceu o Oscar de melhor filme. É uma história real e também perturbadora sobre um grupo de jornalistas que investiga o abuso de crianças por padres católicos, acobertados pela Igreja. Eles conseguem reunir documentos que podem provar os crimes cometidos e o envolvimento de líderes religiosos que tentaram ocultar os casos. O elenco é brilhante: Michael Keaton, Rachel McAdams, Mark Ruffalo, Brian D’Arcy James, Liev Schreiber. Vale conhecer!

Graças a Deus

O filme estreou nos cinemas há poucas semanas e também trata do abuso de crianças por padres. baseado numa história real.  Alexandre Guérin, François Debord e Emmanuel Thomassin foram vítimas do padre Bernard Preynat, da arquidiocese de Lyon, na França. Os três denunciaram os abusos sofridos entre 1986 e 1991, quando eram menores de idade, apenas em 2015. Por meio da criação da associação La Parole Liberée mais de 70 vítimas denunciaram os abusos sofridos.

O filme começa contando a história de  Alexandre (Melvil Poupaud), que mora em Lyon com sua esposa e filhos. Um dia ele descobre por acaso que o padre que abusou dele quando era escoteiro ainda está trabalhando com crianças. Ele decide agir e logo se juntam a ele duas outras vítimas do padre, François (Denis Ménochet) e Emmanuel (Swann Arlaud). Eles se unem para “levantar o fardo do silêncio” a respeito dessa experiência dolorosa. Mas as repercussões e consequências não deixarão ninguém ileso.

Preciosa – Uma História de Esperança

Baseado na história real descrita no livro de Saphire. Conta a história de Claireece “Preciosa” Jones de 16 anos. Grávida de seu próprio pai pela segunda vez, ela não sabe ler nem escrever e sofre abuso constante nas mãos de sua mãe. Instintivamente, Preciosa vê uma chance de mudar de vida quando tem a oportunidade de ser transferida para uma escola alternativa. Sob a orientação firme e paciente de sua nova professora, Sra. Rain, Preciosa começa a viagem da opressão para autodeterminação. O filme ganhou dois Oscars, de roteiro adaptado, e de coadjuvante para Mo’Nique, que levou tudo na categoria naquele ano.

Fotos de divulgação

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *