fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

A dura realidade de Graças a Deus!

Graças a Deus, dirigido por François Ozon, um dos maiores nomes do cinema francês, toca em assunto espinhoso. O abuso sexual de crianças por padres da igreja católica já foi tema de diversos filmes. O mais marcante, em minha opinião, é o vencedor do Oscar de melhor filme, Spotlight – Segredos Revelados. A diferença é que Graças a Deus segue a história das vítimas, enquanto Spotlight se concentrava mais no trabalho dos jornalistas. Ambos são filmes fortes, com histórias revoltantes, mas um cinema de primeira categoria. Graças a Deus, vencedor do Grande Prêmio do Júri do Festival de Berlim 2019,  estreou nos cinemas essa semana . Vale ser conhecido.

O diretor François Ozon, com seu prêmio em Berlim. Foto AFP

A história

Assim como Spotlight, Graças a Deus também é baseado numa história real.  Alexandre Guérin, François Debord e Emmanuel Thomassin foram vítimas do padre Bernard Preynat, da arquidiocese de Lyon, na França. Os três denunciaram os abusos sofridos entre 1986 e 1991, quando eram menores de idade, apenas em 2015. Por meio da criação da associação La Parole Liberée mais de 70 vítimas denunciaram os abusos sofridos.  O filme começa contando a história de  Alexandre (Melvil Poupaud), que mora em Lyon com sua esposa e filhos. Um dia ele descobre por acaso que o padre que abusou dele quando era escoteiro ainda está trabalhando com crianças. Ele decide agir e logo se juntam a ele duas outras vítimas do padre, François (Denis Ménochet) e Emmanuel (Swann Arlaud). Eles se unem para “levantar o fardo do silêncio” a respeito dessa experiência dolorosa. Mas as repercussões e consequências não deixarão ninguém ileso.

O que o filme mostra…

Através de uma trama praticamente dividida em episódios, ficamos conhecendo a história dos três, e especialmente o posicionamento da igreja católica francesa com relação a tudo o que aconteceu. O filme não mostra as cenas do abuso, e nem é necessário. A situação é revoltante mesmo sem ver nada. O filme se concentra em mostrar como aquelas experiências de criança afetaram a todos eles – uns mais que outros, claro. Além disso, deixa também claro que houve problemas entre as vítimas, dentro da associação no meio do caminho. Alguns contaram com o apoio das famílias, outros não. Com esse panorama, o filme questiona posições, e deixa claro que há ainda um longo caminho para que esse tipo de situação deixe de acontecer dentro da igreja.

Ozon falou sobre isso em uma entrevista recente. “Mostrei o filme a um padre que disse: ‘Este filme poderia ser uma oportunidade para a Igreja. Se o considerarem, talvez ela finalmente assuma a responsabilidade pela pedofilia em seu meio e combata essa praga de uma vez por todas.’ Espero que sim”, finaliza o diretor.

Fotos de divulgação

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de ler

Cinema

Já faz muito tempo que o Brasil tenta, tenta, e não chega lá entre os finalistas do Oscar. A última vez foi no século...

Cinema

Muita coisa boa chegando no streaming e no cinema. Começando pelo cinema, eu já aviso que sou mega fã dos dois filmes dos Caça-Fantasmas...

Cinema

Os dois filmes de Caça-Fantasmas, produzidos nos anos 80, são divertidos e deliciosos companheiros de tardes de toda uma geração. Atualmente estão disponíveis no...

Cinema

Tenho uma certa dificuldade de lidar com gente que fala demais. Daquele tipo que adora ouvir sua própria voz, sabe como é? Então para...

Cinema

Para mim, Downton Abbey é uma das melhores séries já feitas. É um novelão, com um refinamento inglês, e ainda um aspecto histórico interessantíssimo....

Cinema

Lembro bem quando estreou na Broadway Querido Evan Hansen. Foi um grande sucesso. Seu protagonista, na época o quase desconhecido Ben Platt, ganhou o...

Cinema

Filmes de ação estrelados por mulheres se tornaram praticamente um novo gênero no streaming. É só pensar em Charlize Theron (Atômica ainda é o...

Streaming

A Netflix tem lançado todos os meses diversos filmes que se enquadram no suspense psicológico. Ou seja, aquele tipo de filme em que a...