fbpx

A chegada do novo Cemitério Maldito aos cinemas

O trailer dessa nova versão de Cemitério Maldito está entre os mais assustadores que vi em tempos recentes. Baseado no livro de Stephen King, de grande sucesso, o filme já havia tido uma adaptação anterior para os cinemas nos anos 80. Pelo que me lembro, era bem tosco. Só que ao contrário de seu trailer, o filme, que estreia essa semana nos cinemas, não é daquele tipo que dá sustos. Mas, como disse Jason Clarke numa entrevista, é bem perturbador.

A história

Tudo começa com uma família chegando em sua nova casa, que fica numa estrada perto de uma cidade pequena. Eles saíram da cidade grande em busca de um estilo de vida mais tranquilo. O marido é médico, e a esposa cuida da casa e dos dois filhos. Mas, como em todas as cidadezinhas americanas de filme, tem sempre um vizinho esquisito. Aqui, é um viúvo, vivido por John Lithgow, que se aproxima da família, e os apresenta à história do cemitério de animais que existe atrás da propriedade deles. Quando o gatinho deles morre, eles ficam conhecendo os poderes daquele local. Mas a pior tragédia ainda está por vir.

A crítica

O autor Stephen King disse em entrevistas anteriores que teve a ideia quando morou na região, e próximo da sua casa havia um cemitério de animais. Também um quase acidente com seu filho pequeno, provocou a outra parte da história. O certo é que o filme traz uma atmosfera deprimente, especialmente na segunda parte da história. Poucos são os momentos “lights”. Um deles é uma referência da garotinha à Winston Churchill para o personagem de John Lithgow, perguntando se ele o conhecia. John, que foi premiado por sua interpretação como Churchill na série The Crown sorri, e diz que o conhece muito bem. O resto é tensão e uma sensação de tristeza e nervosismo.

Confesso que o filme não “me pegou” como eu esperava. Mas isso não quer dizer que seja ruim. Pelo contrário, é bem feito, mas talvez não tenha sido bem o que eu esperava. Esse novo Cemitério Maldito um drama com suspense, já aviso, sem concessões. E o fim, é tétrico…

Fotos de divulgação

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *