fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Streaming

Os prós e os contras da 4ª temporada de Stranger Things

A gente teve que esperar três anos pela nova temporada de Stranger Things na Netflix. Para quem é fã foi muuuitooo tempo. Mas a série voltou com sete episódios, todos com mais ou menos uma hora, ou mais. Os dois episódios finais – dessa temporada, porque a quinta já foi confirmada – vão estrear no dia 1 de julho. Tudo ficou num momento de cliffhanger. Mas será que valeu a espera? Óbvio que sim. A série tem personagens apaixonantes, e teve momentos ótimos. Mas …

Primeiro a história. Como a gente ficou sabendo no final da terceira temporada, Joyce, os filhos, e Eleven se mudaram para a Califórnia. Jim foi dado como morto, mas acabou numa prisão na Rússia. E os demais ficaram em Hawkins vivendo a vida. Quando a temporada começa, Eleven está sem seus poderes, e enfrentando vários problemas com bullying. Nesse momento, Mike vai visitá-la no feriado. Só que uma morte estranha  dá a entender que os problemas vão recomeçar.

O que achei dessa primeira parte da Temporada 4?

O grande charme de Stranger Things  era o grupo. Com todos unidos protegendo uns aos outros, você acreditava que tudo era possível. Só que como é normal em séries com grandes elencos (sim, The Walking Dead), os produtores acham que devem separar o que funciona para conseguir contar mais histórias. E foi o que aconteceu com essa temporada de Stranger Things.

Alguns núcleos continuam a funcionar, como o grupo que ficou em Hawkins. Steve e Dustin sempre ótimos. Robin, de Maya Hawke, muito divertida. Nancy, que sempre foi tão chata, e nessa temporada se redime. Max, que tem os melhores momentos no episódio 4, e funciona sempre. E ainda Erica, e seu irmão Lucas, que começa a temporada afastado, mas depois volta a se juntar ao grupo. Eles tem os melhores momentos. Especialmente com a adição de Eddie Munson, feito por Joseph Quinn. O personagem é divertido e tem tudo a ver com os demais.

Entretanto os demais núcleos têm problemas. O da California, com Mike, Will, Charlie e o novo amigo dele, Argyle, ainda conseguem arrancar algumas risadas. Mas são tão dispensáveis que nem aparecem no episódio final. O arco de Jim na Rússia até parece uma outra série, seja em tom ou em história. As participações de Joyce e Murray ainda melhoram um pouco tudo, mas é aquela hora que dá vontade de olhar o celular (rs). Mas o mais chato de tudo é mesmo o arco de Eleven dentro do laboratório. Repetitivo ao extremo, só ganha importância no último episódio. Mas mesmo assim, é extralongo. Aliás, esse é um grande problema da temporada. Tudo parece esticado demais. E tudo que eu queria era ficar em Hawkins com o grupo resolvendo os mistérios. E, claro, conhecendo o novo grande vilão.

Mas…

Mas, o bom é que sendo Stranger Things, é tudo lotado de referências. Desde Picardias Estudantis,  até Carrie, passando por Freddy Krueger – com a participação pequena, mas bem especial, de Robert Englund. Aliás, a série tem momentos de bom terror.  Os efeitos especiais são bem grandiosos.  E tudo se passa em 1986, portanto é uma delícia de ver a breguice dos anos 80, rsrs. Ainda há a participação ótima da namorada de Dustin, a revelação do vilão, a dupla de Robin e Nancy, e todo o episódio final, que nos deixa engatilhados para ver os dois finais que chegarão em julho. Ou seja, mesmo com todos os problemas, a gente quer ver sempre mais de Stranger Things. E especialmente espera que todos estejam juntos de novo!

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Streaming

Nessa quinta, o mundo perdeu Donald Sutherland. Era um grande vilão (ficou famoso para toda uma nova geração com Jogos Vorazes. Mas sabia ser...

Streaming

O inverno está começando, mas na maioria do país nem parece. Então, se você , como eu, também sente falta do frio, e não...

Cinema

Eu sei que a maioria adora Divertidamente, animação da Pixar  que ganhou o Oscar de melhor animação em 2015. Eu gosto, mas não amo....

Streaming

Sob as Águas do Sena teve um grande sucesso em sua estreia na Netflix. Muita gente gostou. Eu achei muito fraco. História absurda, roteiro...

Premiações

O povo de Hollywood fez a festa em Nova York na entrega do Tony, o prêmio maior do teatro. Nessa edição de 2024, The...

Você também pode gostar de ler

Streaming

Em 2022, saiu no Star Plus o filme A Princesa, com Joey King. Mostrava uma jovem e independente princesa forçada a um casamento que...

Streaming

A gente tem tanta coisa para assistir no streaming que normalmente fica até meio perdida, não é mesmo? Então, eu separei aqui 6 imperdíveis...

Streaming

Kenau Reeves e Winona Ryder são grandes amigos (tem até aquela história que teriam se casado de verdade numa filmagem). Já fizeram quatro filmes...

Streaming

Andrew Garfield é um cara que eu adoro. Não só porque é um grande ator, já indicado ao Oscar (e que merecia já ter...

Cinema

Já faz muito tempo que a gente ouve falar de uma possível sequência de Os Fantasmas se Divertem, mais conhecido como Beetlejuice. Mas agora...

Premiações

Eu adoro esses prêmios que tem a votação do público. Você percebe tendências, e também testa popularidade. Hoje (05) saíram os indicados ao MTV...

Premiações

O Critics Choice Super Awards foi criado para premiar filmes e séries com temas de super-heróis, ficção-científica/fantasia, terror e ação.  Afinal, estes são deixados...

Cinema

Os filmes de Darren Aronofsky não são fáceis. É só lembrar de O Lutador, Cisne Negro, e especialmente Mãe!. A Baleia, que estreia essa...