fbpx

Os bastidores da política americana de O Relatório

Quando houve a sessão para a imprensa  de O Relatório, eu estava fora da cidade. E o filme acabou ficando pouquíssimo tempo em cartaz. Então só fui assistir agora. Ele está disponível no Amazon Prime Vídeo. É um daqueles filmes imperdíveis. É estrelado por Adam Driver e Annette Bening. Os dois e os outros atores receberam um cachê bem abaixo do normal para viabilizar o projeto que é baseado em um fato real.

É a história de um homem idealista chamado Daniel J. Jones (Adam Driver). Ele é encarregado pela senadora Dianne Feinstein (Annette Bening) de liderar uma investigação. É sobre o Programa de Detenção e Interrogatório da CIA, criado após o 11 de setembro. A busca incansável de Jones pela verdade o levará a descobertas explosivas. Eles mostram até que ponto a principal agência de inteligência dos Estados Unidos foi capaz de chegar para destruir evidências. E também subverter a lei e ocultar um segredo brutal da população americana.

A crítica

O filme estreou no Festival de Sundance, com a presença do verdadeiro Daniel J. Jones. Ele inclusive foi aplaudido de pé. Isso porque a sua determinação descrita no filme é extremamente envolvente. Em tempos em que vivemos, é uma história inspiradora. O diretor Scott Z. Burns quer dar uma luz sobre um período da história recente dos bastidores da política americana. Em alguns momentos no início pode parecer confuso. Mas uma vez que você começa a se acostumar com os nomes e os meandros da história, se torna viciante. Você quer saber mais, e qual será a resolução do problema. Especialmente porque pouco sabemos sobre a realidade, sobre o que realmente aconteceu.

Adam Driver e o verdadeiro Daniel Jones

O Relatório tem duas horas de duração. Mas é preciso avisar que é para aqueles que gostam de uma boa história. Não há grandes momentos  de tensão, nem cenas de ação. Ele alterna flashbacks com o presente. Isso funciona bem para o melhor entendimento de tudo que acontece. Adam Driver arrasa no papel principal. Ele dá a profundidade necessária. Há revolta e a versatilidade nas emoções. Annette Bening também está num momento inspiradíssimo. Ela inclusive concorreu ao Globo de Ouro como atriz coadjuvante.

Há outras participações ótimas. Jon Hamm, Maura Tierney, Ted Levine, Corey Stoll, Michael C Hall. Todos ajudam a fazer desse filme algo imperdível.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *