fbpx

Nem John Travolta nem Morgan Freeman salvam A Rosa Venenosa

Eu adoro John Travolta desde que era menina. Acho também que, quando bem dirigido, é um ótimo ator. Mas, nos últimos anos, John tem entrados em projetos que resultam em produções bem medíocres. É o caso recente de  Fanático, atualmente disponível no Now. E é também o caso de A Rosa Venenosa, produção de 2019, cheia de gente famosa, que está na Amazon Prime Vídeo.

O início até promete. É uma clara homenagem ao estilo dos film noir, extremamente popular nos anos 40. A história se passa em 1978 em Los Angeles. John Travolta é Carson Phillips, um ex-astro do futebol que virou detetive particular. Assim como nos clássicos do film noir, ele é o narrador  da história. O caso que chega às suas mãos para investigar  é o do desaparecimento  de uma senhora na cidade natal do detetive. Ao retornar, Carson terá que enfrentar muitas lembranças e persoangens de seu passado. Sua investigação lentamente revela uma complexa teia de crimes, suspeitos e cadáveres. É quando Carson começa a ter que descobrir os responsáveis  assassinatos e os segredos sujos da cidade.

A crítica

Muita coisa acontece em A Rosa Venenosa. Além da investigação do desaparecimento da senhora, há também o assassinato do  marido de Rebecca (Ella Bleu Travolta, filha de John, e uma boa atriz). Rebecca é filha de Jayne (Famke Janssen), o grande amor da vida do detetive. Quem manda na cidade é Doc (Morgan Freeman), dono do cassino local, que pode ou não estar envolvido na história. Ainda há o xerife Walsh (Robert Patrick, que não tem quase nada para fazer), e o médico Miles Mitchell (Brendan Fraser, gordo e o melhor do elenco de longe). E Kat Graham (The Vampire Diaries),  como a cantora, que, no início, parece que terá uma grande importãncia na história, mas desaparece totalmente.

Ou seja, tanta gente boa não é garantia de um bom filme. Talvez na mão de um diretor competente a coisa pudesse ter feito sentido. Mas, George Gallo (roteirista de todos os Bad  Boys), tenta criar um clima, mas não consegue. Conforme o tempo vai passando você fica menos e menos interessado na história previsível. Só quer ver quando a peruca de John Travolta vai cair, ou o que Famke Janssen fez com as bochechas… rsrs.

Infelizmente, por mais que você tente gostar de A Rosa Venenosa, fica aquela sensação que todos os envolvidos só estavam esperando o filme terminar para pegar o cheque, e ir embora. Uma pena.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *