fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Streaming

Lily James é a razão para acompanhar Pam & Tommy

Craig Gillespie dirigiu um filme que gosto muito chamado Eu, Tonya (atualmente disponível para aluguel na Apple TV). O filme, que concorreu a Oscars. Mostra uma história real como homens perdedores provocam uma situação que prejudica a carreira de uma mulher nos anos 90.  Ele segue mais ou menos o mesmo princípio na nova série Pam & Tommy, que estreou na Star Plus. Os três primeiros episódios já estão disponíveis. Os outros cinco serão lançados um por semana.

Pam & Tommy segue o turbulento relacionamento de Pamela Anderson (Lily James), famosa por seu trabalho na série Baywatch, e de Tommy Lee (Sebastian Stan), baterista da banda Mötley Crüe. O romance começou em 1995, quando os dois resolveram se casar alguns dias depois de terem se conhecido. No mesmo ano, o casal estampou tabloides do mundo inteiro quando uma sex tape acabou na internet, que começava então. Ela acabou sendo distribuída para o público pelo ex-ator pornô Michael Morrison (Nick Offerman) e seu amigo Rand Gauthier (Seth Rogen). A tal gravação desencadeou um dos maiores escândalos sexuais da década de 90. O vazamento da fita afetou imediatamente a carreira de Anderson que ficou marcada pelo escândalo.

O que achei desse início de Pam & Tommy?

O primeiro episódio é praticamente dedicado à história de Rand Gauthier, o cara que roubou a fita. É extremamente cansativo e dá vontade de desistir. Mostra mais o tratamento enlouquecido de Tommy com os funcionários que fazem a reforma em sua casa. A revolta de Rand faz com que ele tome a atitude de roubar um armário onde encontrará a fita posteriormente. Lily James praticamente não aparece, o que faz falta no episódio. O segundo já é mais interessante. Afinal aborda o início rapidíssimo do romance de Pam & Tommy, como se conheceram numa boate, e como resolveram se casar após alguns dias. Tem uma sequência meio vexatória que é quando Tommy conversa com seu pênis – e ele responde… visualmente e com a voz do comediante Jason Matzoukas. Aliás, o filme tem diversas cenas de nudez dos dois.

É no terceiro episódio que a história da distribuição da fita começa. Ou seja, minha sensação é que essa minissérie de oito episódios poderia ter uns cinco (ou quatro) episódios e teria um ritmo mais objetivo para contar uma história que é bem interessante. A reconstituição de época é ótima, a trilha sonora idem. Mas ela tem muito – demais – Seth Rogen (também produtor). Todo o arco envolvendo a ex-mulher lésbica (Taylor Schilling, de Orange is the New Black) é totalmente dispensável.

E no final…

No final dos três episódios, fica a sensação que a única pessoa que presta, e que foi prejudicada nessa história, foi Pamela Anderson. Lily James, que ficou assustadoramente parecida com Pamela, a faz de um jeito doce e inocente.  Uma interpretação digna de prêmios. Cada vez que ela aparece em cena, a série se torna mais interessante. Há um momento no terceiro episódio em que Pamela diz que a pessoa que ela mais admira é Jane Fonda. É de cortar o coração ver que Pamela nunca conseguiria alcançar aquilo que desejava. E nem ter o respeito que gostaria. A verdadeira Pamela Anderson preferiu não se envolver com o projeto de Pam & Tommy.

Não posso dizer que a série é aquilo que eu esperava. Me decepcionou um pouco. Não por sua audácia, mas por não ser mais objetiva. Mas quem sabe pode melhorar a partir do próximo episódio na semana que vem.

 

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Streaming

Eu não conhecia o romance Um Cavalheiro em Moscou. Mas me interessei pela adaptação na série do mesmo nome, que estreou ontem (17) no...

Cinema

Filmes de fantasia, que pretendem atingir crianças e adultos, podem acertar no tom, ou não. Várias versões erraram no tom. É o caso de...

Streaming

Bridgerton é uma delícia. Gosto muito das duas primeiras temporadas. A primeira tem cenas bem quentes, a segunda é mais sensual, com um jogo...

Cinema

Admiro muito as canções de Amy Winehouse. E, como sempre, fico triste de ver gente com tanto talento que acaba não conseguindo suportar o...

Cinema

Há uma infinidade de filmes de terror sobre grupos de jovens que se juntam em algum lugar e resolvem mexer com coisas que não...

Você também pode gostar de ler

Streaming

Elisabeth Moss é uma daquelas atrizes que são ótimas em tudo que fazem. Ela foi premiada em Mad Men, The Handmaid’s Tale, e esteve...

Streaming

Há várias séries do Star Plus que são super conhecidas. É o caso de Outlander, Grey’s Anatomy ou Only Murders in the Building –...

Cinema

Confesso que não estava muito entusiasmada para ver Garra de Ferro. Isso porque eu pensava que o tema era luta livre. Mas não demora...

Streaming

Eu não me lembro muito da série Shogun antiga. Era uma superprodução dos anos 80, e tinha Richard Chamberlain no papel principal de John...

Streaming

Tenho achado bem interessante as produções próprias da Star Plus. Dois exemplos são o filme Perdida, que passou nos cinemas e agora está no...

Streaming

Cada vez que vejo um filme sobre um visionário que consegue fazer um produto um sucesso mundial, sempre me  pergunto o quanto daquilo é...

Streaming

A Apple TV Plus tem mais novidades chegando no serviço este mês . E tem alguns que estou bem curiosa para ver. É o...

Streaming

Vários grandes diretores já fizeram seus filmes considerados grandes homenagens ao cinema. Entre eles, Kenneth Branagh (Belfast), Quentin Tarantino (Era uma Vez em Hollywood),...