fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

A tragédia e a comédia das Outras Pessoas

Nesse tempo tão cheio de tragédias e notícias ruins tenho tentado me afastar de filmes tristes, ou que tratem de doenças incuráveis. Acabo dando preferência a temáticas mais leves, ou então um policial cheio de ação, ou  ainda outros com zumbis, vampiros, e outros elementos de fantasia. Fica mais fácil ver os noticiários que já tem tanto drama. Mas, meu amigo José Augusto Paulo assistiu esse drama de 2016, chamado Other People (Outras Pessoas), que está disponível na Netflix. O filme tem até atores que gosto muito, como Molly Shannon, que ganhou o Independent Spirit de coadjuvante por esse papel. Mas, no meu caso, vai ficar numa lista para ver só depois que a pandemia acabar.

Other People

Cada vez que via uma chamada para Other People (Outras Pessoas), eu notava os dois atores principais e só me lembrava deles em outras produções (Jesse Plemons em Fargo e Molly Shannon em Saturday Night Live, coisas completamente diferentes). Até que um dia li que o filme era de Chris Kelly (produtor, ator e diretor de The Other Two) e que tinha muito de autobiográfico. Agora, curioso e interessado, decidi ver o filme.

Na história dessas outras pessoas, temos David (Jesse Plemons) recentemente separado de seu parceiro, em um momento da vida em que nada está dando certo. Ele retorna para a casa de sua família para ficar com sua mãe (Molly Shannon) durante o ano de tratamento, até ela desistir de sua luta contra o câncer e morrer lentamente. O relacionamento de David com sua família é, na melhor das hipóteses, tenso (especialmente em relação ao pai – Bradley Whitford, de  The West Wing) por causa de uma aparente dificuldade em aceitar sua homossexualidade. Embora o assunto seja genuinamente angustiante, a morte de sua mãe, em última análise, ajuda a restaurar seus laços familiares para que ele se torne uma parte integrante da unidade familiar novamente

O filme começa demonstrando o quanto David se sente inadequado e ainda mais quando de volta a um círculo de disfunções familiares. Nas conversas que tem com um amigo de infância (Kevin Dorff), também  gay, mas que ficou na cidade onde cresceram, ele desabafa, tentando recomeçar um ano de fracassos, e tenta seguir seus conselhos.

A crítica

Um roteiro enxuto, sem excessos, com uma atuação bem pontuada (Sissy Spacek foi convidada para fazer a mãe de David, mas teve de recusar o que deu a Molly Shannon a oportunidade de variar em um papel que vai do humor à tragédia). Uma produção que cria um ambiente familiar de várias cores em contraste com os relacionamentos sem muita vida, e uma fotografia sem muito movimento, que permite ver a situação de outro ângulo e explorar os cantos de tela quando não centrados nos personagens. A textura do início é fria, como as situações no enredo. Mas logo vão se tornando mais harmoniosas e calorosas enquanto os desafios crescem. E no final. torna-se mais um filme sobre uma trama familiar, mas sem clichês e sem dramas desperdiçados.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias

Streaming

Mais uma grande perda para o cinema. O ator Ray Liotta, de 67 anos, morreu enquanto dormia. Ray estava na República Dominicana rodando um...

Streaming

Como sempre, saio à procura de filmes não muito badalados que estão disponíveis no streaming. Outra noite me deparei com Estranho, Mas Verdade, que...

Streaming

Vincent Cassel e Berenice Bejo estão arrasando no red carpet do Festival de Cannes 2022 promovendo suas novas produções. Mas hoje (25) está estreando...

Séries

O tempo passa e coisas que a gente espera que nunca mais voltem a acontecer, acontecem. Lembro bem de um episódio de Buffy –...

Cinema

Eu adoro ver que Rita Moreno, do alto de seus 90 anos, continua com grande energia para o trabalho. Ela fez uma participação fantástica...

Você também pode gostar de ler

Streaming

Quando li a sinopse de Toscana, que está na Netflix, logo me lembrei de Um Bom Ano. Pra quem nunca viu, o filme traz...

Streaming

A minha dica especial da semana de cinema é O Peso do Talento, com Nicolas Cage, que está estreando nessa quinta. Surpresa: um filme...

Streaming

Adam Sandler foi um dos primeiros atores a fechar contrato com a Netflix. Desde então fez várias comédias por lá, como o megassucesso Mistério...

Streaming

Todo mundo adora Omar Sy, certo? Ele é ótimo, e seus filmes são sempre interessantes. Então quando li que ele tinha se juntado com...

Streaming

Quando 365 dias estreou, logo no início da pandemia, foi um enorme sucesso. Vinha naquele caminho de soft porn, que de vez em quando...

Streaming

Lembro uma época em que o diretor Jim Jarmusch era “o cara” do momento. Foi nos anos 80, quando fez Estranhos no Paraíso e...

Streaming

Feriado de Páscoa batendo na porta, e em alguns lugares, o frio também. Então, para quem vai ficar em casa nesse feriado prolongado, aqui...

Gossip

Hollywood realmente está mudando. Will Smith é banido do Oscar por 10 anos, Harvey Weinstein é preso. E não é só. Depois de escândalos...