fbpx

A grande estreia de Regina King como diretora em Uma Noite em Miami

Já faz tempo que a gente ouve falar de Uma Noite em Miami. Alguns falam até na possibilidade de Regina King ser indicada a algum prêmio por sua estreia  como diretora. Talvez não chegue a tanto, mas com certeza, é uma estreia promisora. Para se ter uma ideia, Regina foi a primeira diretora negra da história a ter um filme selecionado para o Festival de Veneza. O filme estreou na Amazon Prime Vídeo nessa última sexta, mesmo dia em que Regina completou 50 anos . Vale ser conhecido!

Uma Noite em Miami se baseia numa peça de teatro da autoria de Kemp Powers, que também é o responsável pelo roteiro. Tudo se passa na noite de 25 de fevereiro de 1964, após a vitória de Cassius Clay contra Sonny Linston. Foi nesse momento que ele ganhou o título de campeão mundial dos peso pesados. Enquanto todo mundo celebrava, passa a noite me um hotel em Miami conversando com três amigos: Malcom X, o Jogador da NFL Jim Brown e o cantor e compositor Sam Cooke. Numa época anterior ao movimento black power, esses quatro amigos conversam sobre seus papéis na sociedade, suas responsabilidades como influenciadores.

A crítica

Aparentemente, esse encontro realmente teria  acontecido, mas ninguém sabe o que teria acontecido. Toda a conversa foi imaginada por Kemp Powers. O filme começa com introduções sobre situações  que os quatro teriam passado. Uma delas, a introdução de Jim Brown (Aldis Hedge, visto recentemente em O Homem Invisível) é a melhor, com uma participação especialíssima de Beau Bridges.

Depois, ele segue as discussões dos quatro, de uma forma que lembra em vários momentos os filmes de Spike Lee. A câmera de Regina dá espaço para os atores conversarem e brilharem. Ao mesmo tempo, evita a sensação de teatro filmado, providenciando algumas cenas externas, como a da ida ao mercado. Mas, durante toda a noite, os personagens discutem os vários lados sobre ser negro em uma época que seria de grandes mudanças. Boa parte da ironia e diversão ficam a cargo de Jim Brown e de Cassius Clay (Eli Goree, o Mad Dog de Riverdale). Já o drama mais forte, momentos de rara emoção, ficam com as discussões de Malcom X (Kingsley Ben-Adir, o Mac de High Fidelity) e de Sam Cooke (Leslie Odom Jr. , de Hamilton).

O elenco

Os quatro estão excelentes. Difícil dizer qual deles é o melhor. São atuações memoráveis, cheia de diálogos provocadores.  Leslie Odom Jr. , que ganhou o Tony por Hamilton, tem ainda algumas interpretações memoráveis cantando as músicas de Sam Cooke. Um dos raros momentos em que o filme deixa a conversa deles para apresentar uma lembrança, é o melhor momento. Ele canta a capella a música Chain Gang. É emocionante.

O filme termina com outra música emocionante, A Change is gonna come. É triste pensar que em poucos anos dois deles, Malcom e Sam seriam assassinados. Cassius Caly, já com seu novo nome, Muhammed Ali faleceu em 2016, após mais de 30 anos lutando contra o mal de Parkinson. O único que ainda vive é Jim Brown, que teve seu ápice como ator no início dos anos 70, com os filmes blaxploitation. Ele tem 84 anos.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *