fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

Space Jam 2 é metido a grandioso e não funciona

Eu normalmente gosto muito de filmes que misturam live action com desenho. Acho que tem sempre uma nostalgia divertida que lembra o tempo de criança. Adoro Uma Cilada para Roger Rabbit (disponível no Disney Plus). O filme é de 1998, e, para mim, ainda é o melhor do gênero. Recentemente, teve o filme do Tom & Jerry (HBO Max) que era fofinho. E, claro, muita gente deve lembrar de Space Jam – O Jogo do Século de 1996. Era divertido, está na HBO Max. Mostrava o jogador de basquete Michael Jordan disputando um jogo contra extraterrestres ao lado dos Looney Tunes. É um clássico querido de sessão da tarde. Era divertido. O mesmo não pode se dizer de sua sequência, Space Jam: Um Novo Legado, que estreou hoje (15) nos cinemas.

Nesse novo filme, quem assume o papel de Jordan é o também jogador de basquete, LeBron James. E aqui também ele terá que se junta à gangue Looney Tunes para um jogo muito importante. Agora, a inteligência artificial, Al G (Don Cheadle) sequestra o filho de Lebron. E envia o jogador para uma realidade paralela, onde vivem apenas os personagens de filmes, séries e desenhos da Warner Bros.  No meio do caminho, ele encontra Pernalonga, e os dois saem em busca de outros personagens para ajudá-lo a montar um time. É quando entram na história Patolino, Lola Bunny, Piu Piu, Coiote e outros. Juntos, eles terão que vencer o jogo para salvar o filho de LeBron.

A crítica

Bem, por onde começar? O filme é chato, longo e metido a grandioso. Com sua 1h55m, dá a sensação de ter 3 horas. É claro que tem alguns momentos divertidos, todos a cargo dos Looney Tunes. E ainda há uma homenagem interessante a Michael Jordan, que inclusive provoca uma participação especial inesperada. Entretanto, o conceito de um algoritmo do mal dentro dos estúdios da Warner, me parece uma má ideia. A viagem de LeBron pelos mais diversos mundos da Warner começa bem. É até legal. Só que depois de um tempo, fica parecendo metido. É muita coisa todo o tempo. Do tipo, veja como somos o máximo!  Chega a irritar!

O filme de 1996 tinha um apelo divertido mesmo para quem não conhece muito de basquete, como é o meu caso. Esse enfia um monte de gente na história. E não ajuda a deixar mais interessante. Até mesmo o próprio LeBron. Devo dizer que como ator ele é um ótimo jogador de basquete. Isso fica especialmente claro nas cenas familiares. E também irrita ouvir todo mundo dizer que máximo ele é  – todo o tempo!

Quanto ao elenco, dá uma certa pena ver um ator bom como Don Cheadle no meio dessa bagunça. A gente percebe que ele está se esforçando muito! Outro ótima, que tira leite de pedra com seu personagem é Sonequa Martin-Green, como a esposa de LeBron. Há um momento de vergonha alheia, ao ver o tamanho da participação de Steven Yeun e Sarah Silverman como executivos da Warner. Ele fica quase mudo! O único que, como sempre, se salva é Lil Rel-Howery (de Corra!) como o comentarista do jogo.

No final, o que fica é muito barulho por nada. Uma pena!

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de ler

Cinema

Deserto Particular, o candidato do Brasil, ficou de fora do pré- finalistas ao Oscar de filme estrangeiro. Mas O Homem Ideal, representante da Alemanha,...

Cinema

Normalmente a gente espera que filmes de Natal sejam fofinhos e bobinhos, como Um Castelo para o Natal da Netflix, que assisti ontem. Tem...

Streaming

Muito bom voltar a fazer o vídeo da semana depois da viagem. Perdi alguns filmes como King Richard, mas deu tempo de chegar para...

Cinema

Mesmo com seu 69 anos, Liam Neeson não para de trabalhar. Ele já anunciou que não quer fazer mais filmes de ação, porque realmente...

Cinema

Já faz muito tempo que o Brasil tenta, tenta, e não chega lá entre os finalistas do Oscar. A última vez foi no século...

Cinema

Wes Anderson tem um estilo todo especial. Tem pelo menos uma grande obra-prima, Ilha dos Cachorros (disponível no Star Plus) . Também tem outros...

Cinema

Muita coisa boa chegando no streaming e no cinema. Começando pelo cinema, eu já aviso que sou mega fã dos dois filmes dos Caça-Fantasmas...

Cinema

Tenho uma certa dificuldade de lidar com gente que fala demais. Daquele tipo que adora ouvir sua própria voz, sabe como é? Então para...