fbpx

Sim, A maldição da Chorona é bem legal!

Já falei aqui sobre o problema de ter visto muitos filmes de terror. Você fica escolada, e parece que já viu de tudo. Pouca coisa surpreende ou assusta. Então quando você vê um filme que diverte e até dá uns sustinhos, é motivo de comemoração. É o caso de A Maldição da Chorona, que estreia essa semana nos cinemas. Para quem não sabe, a Chorona  é um personagem que faz parte da cultura mexicana, sobre uma mulher que assassinou os filhos num transe e depois da morta passa a vagar pelas ruas chorando. Esse é o ponto de partida do filme.

A história

Já na primeira sequência, essa história é contada. Depois, chega a Los Angeles de 1973, quando a assistente social viúva, Anna Tate-Garcia (Linda Cardellini), é chamada à casa de Patricia Alvarez (Patricia Velasquez) e encontra seus dois filhos pequenos trancados no armário, Anna interpreta os esforços de uma mãe aterrorizada tentando mantê-los em segurança como um perigoso sinal de maus-tratos.  Sem saber do verdadeiro perigo que está enfrentando, Anna não faz ideia do que está prestes a libertar. Na calada da noite, um choro assombroso ecoa pelos corredores do abrigo onde os dois meninos estão dormindo. Quando seus corpos são retirados do rio, sua mãe perturbada coloca a culpa em Anna e avisa: agora, a Chorona está com seus filhos…mas os filhos de Anna podem ser os próximos.

Annabelle

O filme têm vários momentos onde é fiel a clássicos como Poltergeist e também à Invocação do Mal. Este ultimo ainda o melhor terror recente dos cinemas. Aliás, A Maldição da Chorona, se passa dentro do universo de Invocação, criado pelo produtor James Wan. Você com certeza vai reconhecer Tony Amendola, que fez o papel do Padre Perez em Annabelle, e retorna aqui. E têm referências também!

Terror e comédia

Mas o que achei mais interessante foi a forma de mesclar os momentos de susto e terror com alguns de comédia. Sim, é como se os personagens do filme  entendessem aquela sensação do público, em que após um grande susto, você começa a rir, inconformado com sua própria reação. O personagem que melhor personifica isso é o do curandeiro Rafael, vivido por Raymond Cruz (de Breaking Bad e The Closer). Ele tem sequências ótimas.

A Maldição da Chorona é aquele típico filme B, que faz tudo direitinho. Envolve o público, provoca os sustos e as risadas na hora certa, tem uma atuação esforçada de Linda Cardellini. E, além de tudo, ainda está incluído numa mitologia conhecida. Com certeza, vai ter um grande sucesso. E merece!

Fotos de divulgação

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *