fbpx

O mega-espetáculo de X-Men: Apocalipse

 data-srcset

Não sei o que é certo e o que é errado nas adaptações dos quadrinhos dos X-Men. Não posso dizer se é uma adaptação boa ou ruim. Mas posso afirmar que como filme, é muuuito bom. E assim posso dizer também que acho os três filmes dessa nova fase são bem melhores do que os primeiros, que tiveram início com X-Men: O Filme, nos anos 2000. A nova trilogia, com X-Men: Primeira Classe e X-Men: Dias de um Futuro Esquecido, tem um ponto alto com X-Men: Apocalipse, que estreia esta semana nos cinemas.

Já as primeiras cenas são grandiosas, mostrando como Apocalipse, o primeiro e mais poderoso mutante do universo X-Men, é preso embaixo de uma pirâmide. Ao acordar depois de milhares de anos, ele está desiludido com o mundo em que se encontra e recruta uma equipe de mutantes poderosos. Esta inclui Magneto (Michael Fassbender) e outras figuras conhecidas, que terá o objetivo de  purificar a humanidade , sobre a qual ele reinará. Como o destino da Terra em perigo (de novo), Raven (Jennifer Lawrence), busca a ajuda do Professor Xavier (James McAvoy). Os dois deverão liderar uma equipe de jovens X-Men para enfrentar esse poderoso inimigo e salvar a humanidade da destruição completa (de novo).

As críticas americanas não vem sendo muito boas. Mas eu discordo. me diverti muuuito com o filme, desde as partes engraçadas com o Quicksilver de Evan Peters (anos luz melhor do que o intérprete   do personagem nos filmes da Marvel, Aaron Taylor-Johnson) até a aparição especial de Hugh Jackman como Wolverine e seu primeiro encontro com Jean Grey (Sophie Turner). Aliás, Sophie está ok, mas ela não lembra nada a Jean Grey que conhecemos como Famke Janssen. Quem sabe num próximo filme?  AMEI toda  a jornada do Professor Xavier , mostrando como James McAvoy pode ser charmoso e apaixonante – adorei o reencontro do professor com Moira, fofo demais. Mas o engraçado é que tive a sensação que Jennifer Lawrence estava meio apagada como Raven. Será que é porque ela já declarou que não retornará em outros filmes dos X-Men?

Entre os novos mutantes, Olivia Munn se sobressai mesmo sem falar muita coisa. Li em algum lugar que ela é a perfeita encarnação de Psylocke. Eu já gostava de Tye Sheridan desde a época que o vi em Amor Bandido, e agora assumindo o papel de Scott, também ficou muito bem. Mas assim como nos filmes anteriores, o par Tye Sheridan/ Sophie Turner tem o mesmo nível baixíssimo de química de Famke Janssen/ James Masters. Rsrs, combinou… Mas para mim, a mais fraquinha acabou sendo Alexandra Shipp, que assumiu a Tempestade que conhecemos com o rosto(e corpo) de Halle Berry.  Muitas caras e bocas e um sotaque chatinho. Mas dizem que ela “está” com James McAvoy na vida real. Sortuda a moça!

No final, tudo parece que tem um pouco de tom de despedida, #sóquenão. Há planos para Os Jovens Mutantes, ainda sem data, que teria a direção de Josh Boone, de A Culpa é das Estrelas, e que parece que é um mega fã dos X- Men. Comenta-se inclusive que Maisie Williams, de Game of Thrones, poderia assumir o papel da mutante Lupina. Mas enquanto essa parte não chega é bom aproveitar X-Men: Apocalipse até o último momento. Além da participação de Stan Lee vir durante a batalha final, ainda tem mais uma cena bem depois dos intermináveis créditos – no fim mesmo. Parece que é uma pista sobre o próximo filme de Wolverine, que estreia em março do ano que vem.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *