fbpx

O drama e a comédia da jornada de Espírito de Família

A história de uma pessoa distante que resolve mudar de atitude graças à intervenção de um fantasma já foi vista várias vezes tanto na literatura quanto no cinema. A maioria delas tem uma raiz em Um Conto de Natal, de Charles Dickens. Mas agora está chegando nas plataformas digitais  (dia 17) um filme um pouco diferente, mas que parte do mesmo princípio. É o francês Espírito de Família, mais um daqueles títulos que teria um lançamento nos cinemas caso não estivéssemos passando por uma pandemia.

Um escritor  que sempre foi distante da família deve enfrentar a morte repentina de seu pai. O problema é que após o enterro, o espírito do falecido aparece para o filho. E para mais ninguém. Agora, o rapaz terá que aprender a conviver com essa inusitada e complicada companhia. E mais  difícil será lidar com essa situação na frente da família.  Essa presença perturbadora criará um terremoto entre eles, tanto para o melhor como para o pior.

A crítica

A ideia do poster e do trailer é mostrar que o filme é uma comédia. Só que nem tanto. Talvez seja preciso considerar o humor ao estilo francês, rs. Na verdade, ele alterna momentos de drama e comédia, mas não convence muito em nenhum deles. Dentro do princípio da comédia está o fantasma, o pai Jacques, vivido com carisma e galhardia por François Berléand. Ele, com suas tiradas divertidas, é a melhor coisa do filme.

O problema é a história principal que é a do filho,  o escritor Alexandre, vivido pelo ator Guillaume de Tonquédec. Todos os conflitos familiares  referentes  a morte e família apresentados num homem de 40 anos é meio difícil de engolir. E a atuação de Guillaume também não ajuda muito. Paralelamente, há personagens que não são bem explicados, como a mulher do irmão de Alexandre, que tem algum tipo de problema psicológico, que milagrosamente desaparece, depois que ela resolve transar com outra pessoa.

Há outras boas presenças em Espírito de Família. A veterana Josiane Balasko, como a matriarca, tem seu charme. E também há o garotinho, que faz o filho de  Alexandre, Jules Gauzelin. O personagem dele, apesar de ser ainda uma criança, é o mais são e interessante dessa história.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *