fbpx

Margot Robbie arrasa muito em Aves de Rapina

 data-srcset

Muita gente odiou o filme Esquadrão Suicida, de 2016. Mas uma coisa era certa. Todo mundo havia adorado a Harley Quinn criada por Margot Robbie para o filme. E, desde então, a gente vem ouvindo falar de um filme solo para a personagem. Aves de Rapina, que estreia hoje nos cinemas, não é bem um filme solo. Têm todas as outras poderosas que resolvem tomar o poder em suas próprias mãos. Mas Margot domina todo o tempo, com uma criação enlouquecida, e ao mesmo tempo terna. Ela está perfeita!

A história começa como o trailer já avisou. Harley e o Coringa terminaram seu relacionamento (ou seja, não tem Jared Leto). Agora sem a proteção dele, tudo o que ela aprontou por aí volta a assombrá-la. Sua cabeça está a prêmio, especialmente pelo Máscara Negra (Ewan McGregor). Só que, devido a uma série de situações, Harley sai em busca de um diamante, que está com uma garota (Ella Jay Basco) que o roubou sem saber direito o que estava levando. E, por uma sérei de conincidências, ela acaba se juntando a Canário Negro, Caçadora e Renee Montoya para salvar a vida dela, e as próprias.

A crítica

Tudo é divertido, mas extremamente violento. Tudo parece que tem um ritmo de desenho animado/quadrinhos. A diretora Cathy Yan capricha no visual – e na loucura – em cenas de ação elaboradas. Também providencia um ritmo vertiginoso (a sensação é de uma monta-russa), mas sem esquecer sua personagem principal. E ainda, ele está repleto de referências, o que inclui, é claro, Esquadrão Suicida, Batman (óbvio!) e até Frida Kahlo. Desde a sua introdução vibrante – em animação – o filme dá um recado básico : o importante aqui é mostrar o girl power. E, com isso, as meninas (de qualquer idade ou gênero, rs) vibram e riem muito. Se você gosta de glitter, mais ainda!

O filme tem entretanto algumas pequenas barriguinhas, que acontecem quando ele apresenta cada uma das Aves de Rapina. Fiquei surpresa com  Jurnee Smollett-Bell. Confesso que não me lembrava dela de True Blood (era Nicole). Ela tem carisma e se sai bem nas cenas de luta. Mary Elizabeth Winstead é sempre boa, apesar de aparecer menos (nem tem cenas com seu namorado na vida real, Ewan McGregor). Ele, aliás, está bem no clima enlouquecido do filme como o vilão – adorei seu figurino todo brilhante e colorido. Admito que nunca tive muita paciência com Rosie Perez, mas ela está um pouco menos estridente do que o normal.

Aves de Rapina não chega a ser um novo Deadpool, com seu jeito ousado e rindo si mesmo e de seu gênero de super-heróis (ou super-vilões) . Mas é bem divertido, e já tem uma bela candidata à melhor atuação do ano para Margot Robbie.

 style
 style

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *