fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

Edward Norton e seu neo-noir Brooklyn: Sem Pai Nem Mãe

Como cinéfila que sou, adoro estudar filmes com história de detetives. Especialmente aqueles onde um homem com nada a perder lidera uma investigação que vai levá-lo a alguém com muito poder, que poderá ou não acabar com sua vida. Esses eram muito populares nos anos 40 e 50, tinham uma linguagem visual toda própria, e eram denominados films noir. Alguns filmes mais recentes foram produzidos com esse tipo de história em mente, sendo denominados neo-noir. Caso de LA Confidential, Cidade dos Sonhos, Corpos Ardentes. E agora, mais um nessa linha está chegando aos cinemas essa semana,  é Brooklyn: Sem Pai, nem Mãe, dirigido, roteirizado e estrelado por Edward  Norton.

Ele é Lionel Essrog (Edward Norton) é um solitário detetive particular com síndrome de Tourette (um distúrbio neuropsiquiátrico caracterizado por tiques múltiplos, motores ou vocais, o que faz com que não se tenha controle sobre o que diz) . Em Nova York, nos anos 50, ele está investigando o assassinato de seu amigo e mentor, Frank Minna (Bruce Willis), mas tem poucas pistas sobre o que aconteceu. Obsessivo, Lionel passa a percorrer vários trechos da cidade em busca de respostas.  Até encontrar um caminho que o leva a uma situação de especulação imobiliária em vizinhanças resididas em sua maioria por pobres e negros.

O filme é obviamente muito bem feito, a reconstituição de época é ótima. Tem uma incrível trilha jazzística e um elenco de primeira. Além de Edward Norton, que para mim é um dos melhores atores da sua geração, tem gente  como Bruce Willis, Alec Baldwin, Willem Dafoe, Gugu MBatha -Raw . E ainda participações de Lesley Mann, Bobby Cannavale, Cherry Jones, Michael K. Williams, todos ótimos.

Então qual é o problema?

Apesar da ideia ótima, não só da história como também a de incorporar o estilo neo-noir, o filme é longo demais com suas 2h24 minutos. Certas situações se arrastam, deixando o público cansado. E esse ainda é daqueles filmes que você tem que prestar muita atenção, com o risco de perder alguma informação importante. É claro, há momentos ótimos, e gostei da opção do diretor de injetar um pouco de humor na história (senão ninguém aguentaria). Também o personagem independente  de Laura (Gugu) é outro chamariz. E no final, Edward Norton fez aqui um trabalho onde o amor pela história, pelo elenco, enfim pela produção, é tão claro, que você até consegue perdoar o fato de que Brooklyn: Sem Pai nem Mãe é uns 40 minutos mais longo do que deveria.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias

Séries

Outlander é uma daquelas séries que tem seguidores fanáticos. Há nove livros da saga disponíveis (li seis deles). E a série já foi aprovada...

Streaming

Muita gente deve lembrar do caso do time de futebol de meninos que ficou preso em uma caverna na Tailândia, que logo se encheu...

Streaming

Essa semana o American Film Institute anunciou que vai conferir a Michelle Yeoh o título de Doutor Honoris Causa das Artes. Tudo isso por...

Gossip

Anne Heche, mais conhecida por filmes como Volcano e Seis Dias, Sete Noites (ambos do Star Plus), sofreu um grave acidente em Los Angeles....

Streaming

Essa semana, várias notícias sobre a Warner – com o cancelamento do filme da Batgirl – e o fim da HBO Max pipocaram nas...

Você também pode gostar de ler

Streaming

Eu me lembro a primeira vez que notei Gugu MBatha-Raw no cinema. Foi em Um Estado de Liberdade, de 2016 (disponível na Looke). Mas...

Streaming

Muita gente já fez o papel de Marilyn Monroe no cinema, em filmes para TV, e mesmo em séries. Já inclusive escrevi aqui um...

Streaming

Tenho tentado acompanhar todos os filmes de Bruce Willis. Coisa de fã. A maioria desses últimos é desastrosa. Carga Preciosa, da Netflix, é um...

Cinema

A Reese Witherspoon é uma mulher de negócios e tanto. A maioria das produções que ela estrela também são produzidas por ela. Tudo através...

Streaming

Meia-Noite no Switchgrass foi um daquele monte de filmes que Bruce Willis fez no último ano. Era claro que havia algum problema, mas qua...

Cinema

Morbius era para ter chegado nos cinemas em 2020. Mas, como vários outros casos, a pandemia acabou adiando, e adiando, e adiando. O filme,...

Cinema

É interessante como certos atores de Hollywood acabam se tornando parte de sua vida, parte de sua família. Você gosta deles há tanto tempo...

Premiações

O framboesa de Ouro, que escolhe os piores do ano de Hollywood, gosta mesmo é de chamar a atenção. Por isso mesmo, sempre escolhe ...