fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

A difícil arte de Silêncio

Minha relação com Martin Scorsese e seus filmes é estranha. Apesar de achar que na maioria suas obras são formidáveis e muito acima da média da maioria das produções de outros diretores, eu normalmente não tenho prazer em assisti-las. A exceção que confirma a regra é A Invenção de Hugo Cabret, que adoro, e acho que foi um grande injustiçado do Oscar (mais um). Mas todos os demais, de Touro Indomável a Taxi Driver, passando por Os Bons Companheiros e Os Infiltrados. Todos eles vi somente uma vez e não tenho a menor vontade de assistir novamente. Silêncio, seu último filme, que estreia nos cinemas hoje (9), não é diferente.

Silêncio teve sua pré-estreia no Vaticano. Na foto, Scorsese com o Papa

Esse é um filme meio maldito. Scorsese estava na pendência de fazê-lo desde os anos 90. O caso inclusive chegou aos tribunais, quando as partes chegaram a um acordo. Como se sabe, ele é um homem muito religioso, então adaptar o livro de Shusaku Endo (lançado no Brasil pela Tusquets Editores) do mesmo nome, tinha uma óbvia atração para ele. Ele narra a saga de missionários portugueses no Japão do século XVII, os padres Rodrigues e Garupe (Andrew Garfield e Adam Driver), num período em que os cristãos locais eram brutalmente oprimidos. Ao sair em busca de seu professor, o Padre Ferreira (Liam Neeson, em papel que seria inicialmente de Daniel Day Lewis), os dois acabam capturados e forçados a ver seus companheiros japoneses abrirem mão da vida pela fé, e testemunham crueldades inimagináveis que testam suas próprias crenças.

Scorsese fez um filme de duas horas e quarenta bem duro, praticamente sem música, com uma fotografia pendendo para o tom de sépia. Há momentos em que você sente até uma certa claustrofobia, uma vontade de entrar na tela e resolver de uma vez o impasse entre o padre e o japonês para acabar com o sofrimento de todos os envolvidos. É obviamente um filme “de arte’. Só que não agradou nem o público nem boa arte da crítica. Lançado na época da temporada de premiações conseguiu somente uma indicação para o Oscar – fotografia –  e o prêmio de roteiro do National Board of Review. Ou seja, nem isso foi possível para ajudar na bilheteria. O filme custou 46 milhões e rendeu pouco mais de 7 milhões nos Estados Unidos. Se tornando um grande fracasso.

Resultado de imagem para silence film andrew garfield

Mas, apesar de ser indicado para públicos restritos, o filme não é ruim, como muitos disseram, só é difícil. Você tem que estar preparado psicologicamente para ele. Tem boas atuações de todo o elenco – Adam Driver, que é naturalmente magro, perdeu 25 quilos para o filme. E por mais que eu não tenha empatia por suas histórias, Scorsese é um ótimo diretor. Ou seja, se for a sua praia, tem que ver.

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias

Séries

Outlander é uma daquelas séries que tem seguidores fanáticos. Há nove livros da saga disponíveis (li seis deles). E a série já foi aprovada...

Streaming

Muita gente deve lembrar do caso do time de futebol de meninos que ficou preso em uma caverna na Tailândia, que logo se encheu...

Streaming

Essa semana o American Film Institute anunciou que vai conferir a Michelle Yeoh o título de Doutor Honoris Causa das Artes. Tudo isso por...

Gossip

Anne Heche, mais conhecida por filmes como Volcano e Seis Dias, Sete Noites (ambos do Star Plus), sofreu um grave acidente em Los Angeles....

Streaming

Essa semana, várias notícias sobre a Warner – com o cancelamento do filme da Batgirl – e o fim da HBO Max pipocaram nas...

Você também pode gostar de ler

Streaming

Tem muita coisa boa chegando no streaming este mês. Mas eu separei aqui seis séries que eu vou correr para maratonar assim que estrearem....

Cinema

A gente já sabe que Liam Neeson gosta de trabalhar, né? Rsrsrs. E desde  2008 , com Busca Implacável, ele virou o novo ídolo...

Cinema

Francis Ford Coppola tem um monte de Oscars. Dirigiu aquela que é considerada a melhor saga da história do cinema, O Poderoso Chefão. Mas,...

Streaming

Lembro uma época em que o diretor Jim Jarmusch era “o cara” do momento. Foi nos anos 80, quando fez Estranhos no Paraíso e...

Streaming

Tem várias dicas para os eu fim de semana no cinema e no streaming. Um monte de filmes e a estreia da quinta temporada...

Moda

No momento do tapete vermelho estava tudo bem. Ainda não havia acontecido a premiação injusta de No Ritmo do Coração. E muito menos o...

Cinema

Por alguma dessas estratégias que a gente não entende, o Star Plus resolveu lançar  Os Olhos de Tammy Faye  só depois do Oscar. Mais...

Moda

A noite do Critics Choice teve presenças que foram do elegantíssimo até o horrendo. Isso passando pelo totalmente esquisito, rs. Muito nude, alguns vermelhos,...