fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

Clint Eastwood continua ótimo dirigindo O Caso Richard Jewell

Clint Eastwood é um caso muito especial em Hollywoood. Aos 89 anos, ele continua a dirigir filmes fortes, com produções complicadas, com uma energia de um garoto.  Ele, que já ganhou dois Oscars como diretor – Os Imperdoáveis e Menina de Ouro – , chega agora com outro filme poderoso, que estreia essa semana nos cinemas. O Caso Richard Jewell é baseado em um fato real, e se torna ainda mais relevante em uma época em que discutimos tanto o conceito de fake news.

A história

Tudo começa em Atlanta, durante os Jogos Olímpicos. O mundo é apresentado a Richard Jewell pela primeira vez como o guarda de segurança que relata ter encontrado o dispositivo no atentado durante o show comemorativo. Inicialmente, o seu relatório o tornou um herói cujas ações rápidas salvam inúmeras vidas. Mas em poucos dias, o aspirante a agente da lei se torna o suspeito número um do FBI, difamado pela imprensa e, por consequência, pelo público, com sua vida destruída. Contratando o advogado anti-sistema e independente, Watson Bryant, Jewell firmemente professa sua inocência. Bryant, porém, descobre que terá que lutar contra os poderes combinados do governo e da imprensa para limpar o nome de seu cliente, enquanto impede Richard de confiar nas pessoas que tentam destruí-lo.

O elenco e a crítica

Baseado num artigo da revista Vanity Fair escrito por Marie Brenner, o filme traz uma história interessante e atual. E Clint Eastwood já comprovou que sabe contar uma boa história sobre pessoas comuns, que são jogadas numa situação incontrolável. Sully: O Herói do Rio Hudson e American Sniper estão entre os mais recentes. Aqui, ele coloca um ator semi-desconhecido para aumentar ainda mais a identificação do público com a vítima do filme. Paul Walter Hauser esteve em Infiltrado na Klan e Eu, Tonya sempre de forma competente. Mas era impossível imaginar como sua atuação poderia ser deslumbrante como o centro das atenções do filme, o Richard Jewell. E além disso, ainda deixa claro, que Jewell não é perfeito, mas também não era o culpado do que era injustamente acusado (isso não é spoiler, é uma história real). É interessante saber que o papel era originalmente para ser de Jonah Hill, que acabou ficando somente como produtor. Foi uma boa escolha.

Além dele, o filme também conta com outros atores em estado claramente inspirado. Têm Jon Hamm como o investigador do FBI, e ainda Olivia Wilde como a jornalista que começa toda a perseguição à Jewell. Esse personagem, aliás, acabou criando várias controvérsias na imprensa devido à forma vilanesca com que é mostrado. E, é claro, também têm as atuações maravilhosas de Sam Rockwell (que ocasionalmente me surpreende de forma muito positiva como aqui) como o advogado, e de Kathy Bates. Como a mãe sofredora de Jewell, ela emociona, faz rir e chorar. Tanto que foi a vencedora do prêmio de atriz coadjuvante pelo National Board of Review, e ainda está indicada para o Globo de Ouro, que acontece no próximo dia 5. É a única indicação do filme.

Eu não me lembrava dessa história, então o filme foi uma descoberta atrás da outra. Pode não ser totalmente apurada, afinal todos os filmes têm suas liberdades criativas. Mas é uma produção importante de ser conhecida, especialmente no mundo em que vivemos.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias

Cinema

Quando saiu a notícia do remake de Chamas da Vingança, muita gente achou que era o filme de Denzel Washington, de 2004. Quando eu...

Streaming

A essa altura do campeonato provavelmente todo mundo já viu. Mas na fila de filmes e séries para assistir, só agora consegui tempo para...

Streaming

Já falei aqui anteriormente sobre a excelente qualidade das séries da Apple TV Plus. Não só da mais conhecida, The Morning Show, mas também...

Streaming

Uma semaninha bem fraca entre os novos lançamentos do streaming. Acho que é a preparação para Obi Wan Kenobi e Stranger Things que chegam...

Cinema

Filmes sobre histórias que envolvem cachorro são naturalmente emocionantes. Especial para quem, como eu, é apaixonada por eles. Dificilmente no fim eu não acabo...

Você também pode gostar de ler

Cinema

No fim da semana passado,  o nome  de Olivia Wilde ocupou boa parte da mídia. O motivo principal foi que no meio de sua...

Cinema

Morbius era para ter chegado nos cinemas em 2020. Mas, como vários outros casos, a pandemia acabou adiando, e adiando, e adiando. O filme,...

Cinema

Outro dia, conversando com um gamer, perguntei se ele tinha vontade de ver o filme Uncharted: Fora do Mapa. O filme é baseado num...

Cinema

Todos os anos a Temporada de Premiações escolhe suas “modinhas”. Alguns filmes que eu confesso que não entendo o que estão fazendo ali. Com...

Cinema

Tem muita gente que eu conheço que odeia terror. Eu gosto muito. Mas, quando já se viu tantos filmes do gênero como é o...

Cinema

Sou fã dos livros de Agatha Christie, especialmente aqueles com o detetive Hercule Poirot. Sempre gostei de sua ironia, da perceber a forma como...

Streaming

Craig Gillespie dirigiu um filme que gosto muito chamado Eu, Tonya (atualmente disponível para aluguel na Apple TV). O filme, que concorreu a Oscars....

Cinema

Eu gosto muito de filmes catástrofe – ou disaster movies. Talvez porque cresci vendo produções muito boas como Inferno na Torre ou Terremoto. Mas,...