fbpx

As Trapaceiras e suas poucas risadas

Talvez você se lembre de um filme dos anos 80 chamado Os Safados. Era estrelado por Steve Martin e Michael Caine e mostrava dois trapaceiros tentando enganar mulheres ricas no sul da França. Ele já era uma refilmagem de Dois Farristas Irresistíveis, com Marlon Brando e David Niven, de 1964. Agora, em tempos de poder feminino, resolveram mudar os gêneros dos safados farristas. E Anne Hathaway e Rebel Wilson assumiram os papéis das trapaceiras em busca de fortuna. O filme As Trapaceiras estreia essa semana nos cinemas.

Agora, Anne é uma britânica sedutora e charmosa. Num trem, ela conhece uma australiana esperta e divertida (Rebel). No início, uma quer afastar a outra da cidade para poder ter mais espaço para trabalhar, enganando super milionários. Mas depois a coisa se torna uma verdadeira batalha quando elas fazem uma aposta para ver quem conseguirá  enganar um jovem e ingênuo bilionário do ramo da tecnologia que está viajando pelo sul da França.

A crítica

Apesar de se passar numa cidade francesa, a produção foi filmada em Mallorca, na Espanha. A fotografia é bonita, com lindas paisagens (a vista da casa de Anne é maravilhosa). A produção é bem cuidada, com um belo figurino, e ainda com Anne Hathaway, ótima como sempre. Isso é a parte boa. O roteiro é tonto demais – muito mais que os filmes anteriores –  e ainda tem Rebel Wilson.

Eu confesso que gostei de Megarrromântico (disponível na Netflix), estrelado por Rebel. Mas eu não aguento mais vê-la fazendo sempre o mesmo papel. Tem sempre as mesmas piadas sobre gordura, sobre o quanto ela gosta de sexo, e ainda os mesmos tombos. E nem vou falar do cabelo de Amy Winehouse. Ou seja, é muito cansativa. Com isso, talvez o filme, que tem o já mencionado problema de roteiro, fica ainda mais difícil de aguentar. Sim, você vai dar uma risada ou outra. E nada mais…

Fotos de divulgação

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *