fbpx

A ironia e o caos de A Festa

data-srcset

Existe um estilo de filme, pouco popular, mas que eu adoro, chamado teatro filmado. É quase um gênero. Geralmente são produções baratas, restritas a um ou dois ambientes, mas que tem geralmente diálogos poderosos e interpretações acima da média. A Festa, que estreia amanhã (26) nos cinemas, é um desses casos. Não é um filme fácil – é preto e branco –  e tem diálogos irônicos, tão apropriados a uma comédia de humor negro inglesa. Ou seja, é uma comédia dramática diferente, com muito, muito diálogo. Se essa não é a sua praia, esqueça. Mas se for, tem aqui uma pequena joia !

Resultado de imagem para sally potter film the party

Para celebrar seu tão aguardado e importante cargo em um ministério – o que ela espera que seja um trampolim para a liderança do partido – , Janet (Kristin Scott Thomas), está dando uma festa para os amigos em sua casa em Londres. O seleto e íntimo evento inclui, além do marido acadêmico  de Janet, Bill (Timothy Spall), um  pequeno grupo formado por  April (Patricia Clarkson), a melhor amiga americana e amargamente cínica; seu improvável marido alemão, Gottfried (Bruno Ganz); o casal de mulheres Jinny  (Emily Mortimer) e Martha (Cherry Jones); e, finalmente, Tom (Cillian Murphy), o banqueiro em seu terno impecável, que chegou antes de sua mulher, Marianne.  Só que, inevitavelmente, antes que os canapés sejam servidos, o ambiente otimista vai desaparecer, já que os segredos obscuros começarão a ser revelados, trazendo os sentimentos mais inesperados em todos eles .

O filme é bem curto, tem pouco mais de 70 minutos, o que é algo extremamente positivo, já que os diálogos são fortes, e portanto o roteiro sendo assim tão objetivo, não se torna cansativo. Além do mais, o elenco está inspirado, num daqueles momentos de se ver de joelho, especialmente Kristin Scott Thomas e Patricia Clarkson. As duas são sempre ótimas, mas aqui estão especialmente inspiradas.

Resultado de imagem para sally potter film the party

A Festa ainda recebeu um prêmio especial no último festival de Berlim, o Guild Filme Prize, entregue para a diretora Sally Potter. Além disso, Patricia Clarkson também venceu o prêmio de coadjuvante no British Independent Film Awards. Nada mal para um filme rodado em estúdio durante apenas duas semanas, não é mesmo?

Resultado de imagem para sally potter film the party
A diretora e parte do elenco em Berlim

style
style

Existem 1 comentários

  1. Por isso que eu amo este blog, sempre trazendo o melhor do cinema para nós. Não sei em que mídia havia visto algo sobre o filme, mas sabia que aqui encontraria os detalhes.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *