fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

A história das irmãs de A Vida Invisível

No meio do ano, o Festival de Cannes estava cheio de amor com o cinema brasileiro. Teve prêmio para Bacurau, e também o prêmio especial da mostra Um Certo Olhar para A Vida Invisível. Este último ganhou ainda outros prêmios internacionais, até ser lançado nos cinemas aqui do Brasil esta semana. A Vida Invisível, dirigido por Karim Ainouz, é ainda o filme indicado pelo Brasil para concorrer ao Oscar de Filme Estrangeiro na cerimônia de 2020. Ou seja, tem que ver, né?

A história

Baseado no livro e Martha Batalha, o filme conta a história de Guida e Eurídice, duas irmãs que vivem no Rio de Janeiro dos anos 50. Pela situação vigente na época, as duas são cruelmente separadas, impedidas de viverem juntas os sonhos que alimentaram ainda adolescentes. E separadas estas duas mulheres tem que lutar contra as forças sociais que insistem em frustrá-las. Invisíveis em uma sociedade paternalista e conservadora, elas se desdobram para tentar atingir seus sonhos.

A crítica

O filme retrata belamente uma época em que as mulheres tinham mínimas escolhas além de casar e ter filhos. Mostra uma sociedade em que “um passo em falso” poderia custar toda uma vida. O filme mantém uma onda de melancolia, belamente filmada, que sufoca as duas irmãs depois de uma separação de cortar o coração. Ao som de uma irretocável trilha sonora, ele atravessa décadas dessa história, bem no estilo dos grandes melodramas, um gênero pouco abordado no cinema brasileiro atualmente. E que eu adoro!

Com duas horas e vinte minutos, é claro que a história tem um barriguinha no meio. Mas também nunca é preciso dizer que você acompanha o tempo todo querendo saber como será o encontro das duas irmãs. As mulheres são forças da natureza, não só Guida e Eurídice, mas também Filomena, que ajuda Guida no momento que ela mais precisa. “Ela é minha mãe, meu pai e minha irmã” diz Guida numa das várias cartas que pontuam a passagem do tempo, e os sentimentos dela.

O elenco

Com isso, você tem três atrizes pouco conhecidas em estado de graça. Carol Duarte (Eurídice), Julia Stockler (Guida) e Bárbara Santos (Filomena) passam pelas várias fases da história passando para o público todos os sentimentos confusos dessas mulheres que viveram num período tão difícil. O filme, tem ainda uma participação definitiva de Fernanda Montenegro, como a Eurídice velha. Por mais que o filme tenha tido uma caidinha no ritmo, quando Fernanda aparece ele tem um último ato triunfal.

E depois de A Vida Invisível

Minha sugestão é que você leve sua mãe, ou sua avó, para assistir A Vida Invisível. E depois saia pra bater papo. Com certeza, as conversas pós-filme sobre esse tempo que felizmente passou serão muito interessantes.

Fotos de divulgação

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Streaming

Eu não conhecia o romance Um Cavalheiro em Moscou. Mas me interessei pela adaptação na série do mesmo nome, que estreou ontem (17) no...

Cinema

Filmes de fantasia, que pretendem atingir crianças e adultos, podem acertar no tom, ou não. Várias versões erraram no tom. É o caso de...

Streaming

Bridgerton é uma delícia. Gosto muito das duas primeiras temporadas. A primeira tem cenas bem quentes, a segunda é mais sensual, com um jogo...

Cinema

Admiro muito as canções de Amy Winehouse. E, como sempre, fico triste de ver gente com tanto talento que acaba não conseguindo suportar o...

Cinema

Há uma infinidade de filmes de terror sobre grupos de jovens que se juntam em algum lugar e resolvem mexer com coisas que não...

Você também pode gostar de ler

Cinema

Tenho tentado assistir a boa parte dos filmes que estão participando do Oscar ( já vi todos os principais que concorrem a melhor filme)....

Cinema

Folhas de Outono é um desses filmes que fiquei triste por ter perdido a sessão para a imprensa. Ele é o representante da Finlândia...

Premiações

Depois de mais de 10 dias de Festival de Cannes, foram anunciados os grandes vencedores do evento. Killers of the Flower Moon , de...

Cinema

Close, uma co-produção da Bélgica, Holanda e França, concorre ao Oscar de filme estrangeiro pela Bélgica. Tem pouca chance de levar a estatueta. Esta...

Cinema

David O. Russell dirigiu um filme que eu adoro chamado Trapaça (está no Paramount Plus). Concorreu a 10 Oscars, mas acabou levando zero para...

Moda

O festival de Cannes terminou nesse sábado premiando o filme sueco Triangle of Sadness. É interessante  registrar, que, além de cinema, o festival virou...

Cinema

Nanni Moretti é um diretor que já ganhou vários prêmios. Entre eles a Palma de Ouro por O Quarto do Filho, e o Globo...

Moda

A briga pelo Oscar de melhor atriz está tão acirrada este ano que eu não me surpreenderia se qualquer uma delas ganhasse. Mas, por...