fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Séries

Os poderes dos deuses nórdicos de Ragnarok

Ragnarok é um desses casos de séries que eu acabei deixando para ver depois porque sempre havia algo mais urgente para assistir antes. Só que essa semana resolvi começar a assistir. Afinal,  a primeira temporada, que está disponível na Netflix, era curtinha, só com seis episódios. E, por coincidência, bem quando estava no meio dela, e totalmente envolvida com as histórias, a Netflix divulgou a foto do elenco para a segunda temporada. O motivo foi para anunciar que a segunda temporada já aprovada há um tempo, havia começado a ser filmada. Foi uma boa notícia. Afinal, para quem já viu a série, e se apaixonou pelo universo  de deuses e gigantes do folclore nórdico, o final deixa um gostinho de quero mais.

Para quem ainda não viu a primeira temporada, fica a dica. O significado da palavra é destino. Nesse caso, refere-se à última e decisiva batalha dos deuses contra os seus inimigos. O mito foi pela primeira vez descrito no poema anónimo chamado Völuspá. Foi compilado no século XIII, a partir de fontes tradicionais mais antigas e no Edda em prosa, escrito no século XIII por Snorri Sturluson (Blog de Hollywood também é cultura,rs!).

A história da série

Na série, tudo começa com a chegada do jovem Magne (David Stakston) à pequena cidade de Edda, na Noruega,  juntamente com seu irmão e sua mãe. Logo que chega Magne começa a sentir coisas estranhas, além de não precisar mais de seus óculos e ter uma força incomum. A adaptação ao novo local é difícil, mas ele faz amizade com uma jovem local, Isolde (Ylva Bjørkaas Thedin). Ela investiga várias situações de poluição, provocadas por uma indústria local, cuja família proprietária é bem estranha. Só que um assassinato, e vários acontecimentos fora do comum vão mudar completamente a vida de Magne, que vai descobrir que é mais especial do que imaginava.

A crítica

Ragnarok mistura vários gêneros, e funciona com todos eles. É uma história sobre a sempre difícil vida no colégio. Tem bullying, amores não correspondidos, primeira vez. Também é um policial, com uma investigação de assassinato, e os motivos por trás disso. E, é claro, tem o lado de fantasia, ou sobrenatural. Tudo com base no folclore nórdico, com deuses, gigantes, demônios e até Thor (infelizmente, sem o Chris Hemsworth, rs). O irmão moreno e cínico de Magnus, Laurits (Jonas Strand Gravli, de 22 de julho), é uma clara alusão a Loki. Isso se você der um desconto que ele parece bem mais velho que um adolescente. E, é claro, tem o destaque da fotografia, que é um deslumbre, com todos aqueles fiordes noruegueses. Dá vontade de viajar pra lá.

Essa primeira temporada de Ragnarok é claramente uma história de origem. A segunda deve provavelmente mostrar como Magne poderá usar seus poderes para mudar o mundo. É certo que o debate sobre meio ambiente, tão presente na primeira temporada, continue na segunda. Mas, talvez a produção ouça as críticas que falaram muito sobre a ausência de uma dedicação maior ao tema sobrenatural. Na minha opinião, a primeira temporada ultrapassou minhas expectativas. Afinal, Magne está apenas começando a conhecer seus poderes. A sua jornada está sendo apenas descoberta, tanto por ele quanto pelo público. Que venha a segunda temporada para a gente saber muito mais sobre tudo!

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Streaming

O Festival de Cannes é o mais renomado e importante de todos os festivais. Foi criado em 1946, e o prêmio principal na época...

Streaming

Sei que muita gente não gosta de Jennifer Lopez por motivos variados. Não sou um delas. Acho que ela é um boa atriz, admiro...

Streaming

A Netflix vive colocando e tirando filmes de seu serviço. Então eu separei aqui seis deles, que sairão em breve do serviço, mas valem...

Cinema

Há certos tipos de humor que, sinceramente, não consigo entender. Por exemplo, lembro-me de uma época em que Orange is the New Black era...

Cinema

Mad Max: Estrada da Fúria foi um grande sucesso de público e crítica quando foi lançado em 2015. Na época, escrevi o seguinte na...

Você também pode gostar de ler

Streaming

Provavelmente você já ouviu falar da minissérie inglesa Bebê Rena, que está na Netflix. Muita gente tem me perguntado sobre ela nas redes sociais...

Streaming

Sabe aquela situação em que você acompanha filmes e séries que tem uma certa similaridade? Pois foi o que aconteceu com meu amigo José...

Streaming

Há muito tempo, eu assisti o filme clássico francês O Salário do Medo. Dirigido por Henri Georges Clouzot, tinha Yves Montand no papel principal....

Streaming

Um tipo de história que sempre mexe comigo é a de reencontros com amores do passado. Daquele tipo o que poderia ter sido, mas...

Streaming

Eu estava em busca de um filme curtinho, desses de 1h30. E achei Capitã Nova, uma produção holandesa de ficção-científica, disponível na Netflix. Esses...

Streaming

Agosto chegando e aqui tem uma listinha de filmes, séries e novas temporadas que chegam no streaming no mês. Eu, com certeza, verei todas...

Streaming

Na época de minha adolescência, como muita gente mais, eu achava Rob Lowe um dos atores mais lindos da época. O primeiro ano do...

Streaming

Um amigo já tinha me avisado sobre esse filme. Mas eu não me lembrava se ele havia falado se era ruim ou bom, rs....