fbpx
Conecte com a gente

Olá, o que você está procurando?

Cinema

O bom resultado da trilogia de Rua do Medo, da Netflix

Há três semanas, quando o primeiro filme da trilogia de Rua do Medo, o 1994, foi lançado na Netflix, mencionei aqui qque tinha gostado da ideia de um formato diferenciado. Três filmes interligados sendo lançados em cada semana. Todos baseados nas histórias de R. L. Styne. O último, Rua do Medo: 1666, explica a origem de todo o mal.  E ainda providencia um fechamento para a história de Rua do Medo, 1994, o primeiro filme. Os três funcionam.

1994

Todos eles bebem na fonte de um estilo cinematográfico. O primeiro, 1994, já começa com uma homenagem ao filme Pânico. E Maya Hawke arrasa como a primeira vítima. O filme ainda mostra que desde os primórdios há uma disputa entre a bem sucedida cidade de Sunnyvale, e sua vizinha pobre, Shadyside. Há um lenda local de uma bruxa, e que estaria por trás dos serial killers, que cometem crimes brutais de vez em quando na cidade. O filme apresenta a personagem principal, Deena (Kiana Madeira). Para salvar aqueles que ela ama, Deena vai investigar os crimes e a maldição que assola o local.

1978

O primeiro filme termina com um cliffhanger, que leva Deena e seu irmão Josh (o fofo Benjamin Flores Jr.), até uma sobrevivente de um massacre de anos antes. A partir daí, Rua do medo:1978, conta essa história, com uma pegada do clássico Halloween. Tudo se passa num acampamento de férias. As protagonistas são duas irmãs, que são ameaçadas por um assassino com um machado. Uma delas é a ótima Sadie Sink, de Stranger Things. Para mim, é o melhor dos três. Tem, ação, terror, e personagens interessantes. Também já faz a ligação tanto com os acontecimentos de 1994, quanto com os de 1666.

1666

O último filme, que estreou nessa sexta (16), transporta Deena para o passado. Lá ela vai incorporar Sarah Fier, e vai entender o que realmente aconteceu. E ainda qual a razão pela qual a maldição começou. Essa última parte é divida em duas. A primeira, tem um clima de A Bruxa, quando  tudo se passa em 1666. Faz uma opção interessante de colocar os atores dos dois primeiros filmes, como personagens de 1666. Já a segunda, quando Deena retorna a 1994, finaliza primeiro filme e a trilogia. O enfrentamento final ocorre no mesmo shopping onde tudo começou. Um destaque é Darrell Britt-Gibson, como Martin, que providencia alguns momentos divertidos da história.

O desfecho é satisfatório e até razoavelmente inesperado. Com um clima que lembra Stranger Things, com ênfase na nostalgia. Tem algumas boas cenas, e momentos de suspense. Funcionou bem. E prepare-se: deixa uma porta escancarada para uma sequência.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Cinema

Mad Max: Estrada da Fúria foi um grande sucesso de público e crítica quando foi lançado em 2015. Na época, escrevi o seguinte na...

Cinema

É impossível não lembrar de John Wick ao assistir Fúria Primitiva. Afinal, trata-se de um filme sobre vingança , sobre alguém que  desafia os...

Streaming

A gente já viu essa história muitas vezes. O romance improvável entre estudantes ricos e pobres numa escola para milionários. Recentemente Elite fez muito...

Streaming

Houve um tempo em que Renny Harlin dirigiu grandes filmes de ação. É o caso de Risco Total e Duro de Matar 2, por...

Streaming

Eu não conhecia o romance Um Cavalheiro em Moscou. Mas me interessei pela adaptação na série do mesmo nome, que estreou ontem (17) no...

Você também pode gostar de ler

Cinema

Há uma infinidade de filmes de terror sobre grupos de jovens que se juntam em algum lugar e resolvem mexer com coisas que não...

Streaming

Provavelmente você já ouviu falar da minissérie inglesa Bebê Rena, que está na Netflix. Muita gente tem me perguntado sobre ela nas redes sociais...

Streaming

Sabe aquela situação em que você acompanha filmes e séries que tem uma certa similaridade? Pois foi o que aconteceu com meu amigo José...

Streaming

Há muito tempo, eu assisti o filme clássico francês O Salário do Medo. Dirigido por Henri Georges Clouzot, tinha Yves Montand no papel principal....

Cinema

Antes da pandemia, em 2019, todo mundo estava falando sobre um “jogo” chamado Baleia Azul. Ele era um conjunto de 50 desafios diários e...

Cinema

Última estreia de filme de terror do ano – e foram tantas! O Senhor do Caos chega aos cinemas nessa quinta – pena que...

Streaming

Um tipo de história que sempre mexe comigo é a de reencontros com amores do passado. Daquele tipo o que poderia ter sido, mas...

Cinema

Quantos e quantos filmes de terror estreiam nos cinemas e no streaming. O problema é que cada vez mais está difícil encontrar uma história...